Graças ao Dropbox, o FBI conseguiu prender um norte-americano suspeito de contatar crianças através da internet para conseguir fotos íntimas delas. Segundo a agência federal dos EUA, o rapaz de 26 anos atuava dessa forma desde pelo menos 2014 e tinha escapado dos avanços da polícia até então graças ao uso de tecnologias de anonimato na web.

Residente da Califórnia, Buster Hernandez usava o apelido Brian Kil para se comunicar com internautas de até 12 anos e ameaçá-las para que elas enviassem imagens com conteúdo sexual. As autoridades notaram o comportamento do cidadão depois que ele postou uma prova de seus crimes ligados à pedofilia em uma página pessoal no Facebook.

Prova das ameaças enviadas por Hernandez às suas vítimas

Como a polícia do condado de Brownsburg não conseguia detectar o IP real do criminoso – já que ele usava o protocolo Tor para esconder seus rastros –, o FBI foi acionado para tentar descobrir a verdadeira identidade de Brian Kil. O trabalho não tinha dado muitos frutos até que, em junho deste ano, Hernandez pediu para que uma de suas vítimas fizesse o upload de suas fotos para um link do Dropbox.

Isso foi o bastante para que os agentes conseguissem uma autorização judicial para invadir a conta do suspeito e transmitir um arquivo de vídeo para o armazenamento na nuvem. O detalhe? O documento continha códigos que forneciam o IP real do usuário assim que ele baixasse e executasse o clipe. A partir daí, o FBI tomou controle da câmera instalada no computador de Hernandez e conseguiu coletar informações precisas sob o lugar que ele morava.

Cupons de desconto TecMundo: