No começo do ano, o Brasil parou para discutir se Laércio de Moura, participante do “Big Brother Brasil 16”, era pedófilo. Sobre ele, caía a acusação da companheira de confinamento Ana Paula Renault depois que ela notou o ex-brother encarando as nádegas das participantes mais novinhas da casa, Munik Nunes e Maria Claudia Gomes, ambas com 19 anos, e também o fato de ele ter assumido que tinha duas namoradas – uma de 17 e outra de 19.

Agora, passados alguns meses da final do programa, Laércio novamente volta aos noticiários com a mesma acusação, desta vez feita pela Polícia Civil. O designer de tatuagens foi preso na manhã desta segunda-feira (16), suspeito de ter cometido estupro de vulnerável. Atualmente com 53 anos, Laércio teria cometido o crime há 4 anos, quando a vítima tinha apenas 13.

A promotora de Justiça Tarsila Teixeira revelou em entrevista coletiva que pesam sobre Laércio os prints das conversas que ele teria tido com a vítima pelo Facebook. Segundo ela, as investigações ocorrem desde que as preferências sexuais do ex-BBB vieram à tona: no programa, ele assumiu gostar de meninas mais novas; aqui fora, na mesma rede social, uma mensagem em que ele afirmava ser efebófilo, que é a atração por adolescentes, foi muito comentada. Além disso, ele curtia uma página dedicada a uma participante do MasterChef Junior, da Band, que também foi vítima de comentários pedófilos na internet.

Discussão em que Laércio foi chamado de pedófilo agitou os primeiros dias do Big Brother. O ex-brother foi eliminado com 54% dos votos, em paredão disputado justamente contra Ana Paula

Conversas divulgadas

Nos prints divulgados pela Polícia Civil, Laércio parece estar querendo repetir algo que ele fez com a vítima, que teve sua identidade preservada. A moça afirma que tem medo que as pessoas descubram e pede que o participante espere até ela ficar mais velha. À Polícia Civil, a menor de idade, atualmente com 17 anos, confirmou o caso com o ex-BBB Laércio.

Ao chegar à delegacia, o acusado preferiu esconder o rosto e não deu nenhuma declaração à imprensa. Além da prisão, a polícia apreendeu um computador, alguns pendrives, um HD externo e três telefones celulares, que precisarão passar por perícia para ver se escondem mais alguma informação.

A vítima alega que conheceu Laércio em uma festa, onde trocaram telefones e passaram a ter conversas íntimas. O Ministério Público disse que a investigação continua, já que existem outras denúncias contra o ex-brother e acredita-se que mais vítimas possam ser descobertas. Confira o print das conversas:

(Divulgação: Polícia Civil)

(Divulgação: Polícia Civil)

(Divulgação: Polícia Civil)

(Divulgação: Polícia Civil)

Vaquinha

A assessoria de Laércio de Moura confirmou a sua prisão e lançou uma enquete no Twitter sobre a possibilidade de seus possíveis fãs o ajudarem a pagar a fiança através de uma vaquinha online. Apesar disso, 91% das pessoas responderam dizendo que não ajudariam o ex-brother a sair da prisão. Por enquanto, Laércio segue detido.

Seguidores de Laércio não estão dispostos a ajudá-lo

No final da tarde, o advogado de Laércio se manisfetou dizendo que o ex-BBB nunca se encontrou com a suposta vítima e que ele estaria muito calmo com tudo que está acontecendo. Para ele, o Facebook de Laércio pode ter sido hackeado. "Aparentemente a pessoa que denunciou citou outra pessoa e pode ser uma retaliação de um desafeto virtual", explicou Ronaldo Manoel Santiago à Banda B.

O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), em Curitiba (PR), recebe denúncias pelo telefone (41) 3270-3370.  Assim que o participante entrou no reality show da Rede Globo, o Nucria recebeu várias denúncias contra ele, levando o Ministério Público do Paraná a investigá-lo. Se você tiver qualquer informação sobre este ou qualquer outro caso envolvendo crianças ou adolescentes, entre em contato por esse telefone.

***

Qual punição você acha que é a mais justa para quem abusa de menores de idade? Comente no Fórum do Mega Curioso

Cupons de desconto TecMundo: