Quando o assunto é valor de marca, ninguém bate as empresas de tecnologia, que ocupam todas as cinco primeiras posições na classificação da Forbes de companhias mais valiosas do mundo. Mas a coisa muda de figura quando analisamos o faturamento, como mostra a lista da Fortune de 500 empresas com mais receita no planeta.

Nesse caso, celulares e armazenamento em nuvem deram lugar a petróleo, automóveis e energia elétrica. O topo da lista ficou com a Walmart (US$ 500 bilhões), a multinacional norte-americana que tem supermercados e lojas de departamento em diversos países. Curioso é que a Walmart está cada vez mais próxima de virar também uma empresa de tecnologia para competir com a Amazon.

Uma lista.

Três companhias chinesas vêm logo atrás da Walmart. A State Grid é a estatal responsável pela rede de energia elétrica do país, enquanto a Sinopec e a Corporação Nacional de Petróleo são petrolíferas. Fechando o top 5 está a holandesa Shell, outra petrolífera.

O restante do top 10 inclui montadoras de automóveis, como Toyota e Volkswagen, mais companhias que exploram petróleo e gás e a Berkshire Hathaway, empresa americana que atua em diversos setores diferentes, desde o mercado imobiliário até companhias de aviação.

Mas isso não quer dizer que o faturamento das empresas de tecnologia é baixo. A Apple, por exemplo, ocupa a 11ª posição na lista, sendo a melhor colocada das companhias dessa área. O comparativo é interessante exatamente por mostrar que, embora as empresas de tecnologia tenham um potencial de crescimento gigante, o momento atual ainda é de companhias que atuam em áreas consideradas como mais tradicionais.