O Netflix divulgou recentemente um relatório operacional e financeiro referente aos três primeiros meses deste ano, e a empresa mostra mais uma vez a força que os serviços de streaming têm ganhado nos últimos anos.

Somente entre janeiro e março de 2015, o Netflix angariou 4,9 milhões de novos assinantes. Os EUA continuam sendo o mercado mais promissor do serviço, já que desse total de usuários recém-inscritos 2,28 milhões são norte-americanos e os todos os demais países somam 2,6 milhões.

Com isso, o Netflix agora acumula um total 62,3 milhões de assinantes, totalizando somente nesse primeiro trimestre do ano mais de 10 bilhões de horas de reprodução. Esses dados superaram todas as expectativas da companhia e ajudaram a impulsionar o valor das ações dela na bolsa de valores de Nova York, apresentando um aumento na data de hoje de 12% e fechando o pregão em US$ 533,66 cada papel negociado.

Qualidade é a chave do sucesso

Contudo, os executivos da empresa esperam um segundo trimestre com um crescimento bem mais ameno se comparado a esses três primeiros meses, mas considerável em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o relatório, a empresa espera conseguir 1,9 milhão de novos adeptos de abril a junho, número que se alcançado será 70% maior do que esse período de 2014.

Em relação aos ganhos de capital, o balanço financeiro do Netflic aponta para uma receita de US$ 1,57 bilhão e o seu lucro líquido foi de US$ 23 milhões — o que corresponde a US$ 0,38 por ação disponível na bolsa. Para os executivos de alto escalão da empresa, a fórmula do sucesso se baseia em oferecer conteúdos variados e qualificados.

“Acreditamos que o forte crescimento nos EUA foi resultado da disponibilização de conteúdos cada vez melhores, incluindo o lançamento da terceira temporada de House of Cards e dos novos shows Unbreakable Kimmy Schimidt e Bloodline”, comentaram Reed Hastings e David Wells, CEO e CFO do Netflix, respectivamente.

Cupons de desconto TecMundo: