Cientistas descobrem o tamanho do núcleo de Marte

1 min de leitura
Imagem de: Cientistas descobrem o tamanho do núcleo de Marte
Imagem: Insight Ethz/Reprodução
Avatar do autor

Marte acaba de entrar para um grupo bem seleto do sistema solar. Depois da Terra, ele é o segundo planeta a ter seu núcleo medido e estudado por cientistas graças à espaçonave InSight da NASA.

Na superfície marciana desde 2018, a sonda investigou as profundezas ao analisar as ondas sísmicas emitidas pelo planeta vermelho. Dessa maneira, ela foi capaz de obter medições reais sobre o astro.

Em solo marciano desde 2018, a InSight analisa as ondas sísmicas do planeta vermelho.Em solo marciano desde 2018, a InSight analisa as ondas sísmicas do planeta vermelho.Fonte:  NASA/Divulgação 

A medição sugere que o raio do núcleo marciano é de 1.810 a 1.860 quilômetros – cerca da metade do tamanho do núcleo da Terra. Isso significa que ele é maior que as estimativas anteriores, mas menos denso do que o previsto.

Além do ferro e do enxofre que constituem grande parte da sua composição, o núcleo de Marte deve conter elementos mais leves, como o oxigênio. Essa última informação ainda será analisada pelos pesquisadores.

Planetas rochosos como a Terra e Marte são divididos em três camadas fundamentais: núcleo, manto e crosta. Então, saber o tamanho de cada uma dessas camadas é crucial para entender como o astro se formou e evoluiu.

Assim, o próximo passo dos pesquisadores será determinar como o núcleo denso e rico em metal se separou do manto rochoso à medida que o planeta esfriou. Provavelmente, o núcleo ainda está derretido do nascimento de Marte a cerca de 4,5 bilhões de anos.

Estrutura interna de Marte: núcleo, manto, crosta e atmosfera.Estrutura interna de Marte: núcleo, manto, crosta e atmosfera.Fonte:  IPGP/David Ducros 

Dificuldades da Missão InSight

As recentes descobertas são um alívio para a NASA, isso porque a sonda está tendo dificuldade para atuar em Marte devido ao acúmulo de poeira nos painéis solares. Além disso, o planeta está em um estágio da sua órbita em que fica mais distante do Sol.

“Isso nos fará reduzir o uso dos instrumentos nos próximos meses”, explica Mark Panning, um dos cientistas do projeto InSight, à Nature. Contudo, os pesquisadores ainda possuem um vasto material para ser analisado.

Cientistas descobrem o tamanho do núcleo de Marte