Há alguns dias aqui no Tecmundo, nós testamos uma das placas de vídeo mais poderosas da atualidade, a Radeon HD 7970. Durante os testes, percebemos que ela produziu muito calor.

Infelizmente o nosso gabinete não conseguiu dar conta de eliminar o ar quente liberado pela placa e isso acabou ocasionando o aumento da temperatura interna do gabinete e, consequentemente, o superaquecimento de todos os componentes, principalmente da própria placa.

Foi então que tivemos essa ideia, que aproveita parte do sistema que foi utilizado anteriormente no projeto da geladeira USB. O que decidimos fazer foi construir um ar-condicionado (ou quase isso) para o computador.

Utilizaremos um princípio quase idêntico ao da geladeira, mas com algumas modificações que servirão para adequar melhor o projeto para o nosso ideal. A principal alteração é que dessa vez não iremos conectar o sistema na porta USB, e sim diretamente na fonte de alimentação do PC.

Materiais necessários

  • 1 peltier;
  • 2 dissipadores para processador com o cooler integrado;
  • 1 duto de ar (presente na maioria dos gabinetes);
  • 1 cabo de energia conversor SATA para IDE;
  • Pasta térmica;
  • Braçadeiras de nylon;

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Também vamos precisar de ferramentas diversas e, é claro, cola quente. O sistema deverá ser adaptado em um gabinete e, para isso, este também precisa ser preparado de forma adequada. Nós utilizaremos um modelo antigo, que já possui diversas aberturas laterais. Vamos posicionar o nosso aparelho na parte de cima, para que o ar frio entre por lá e possa se espalhar pelo interior com mais facilidade.

Os dissipadores que nós escolhemos para o projeto são do estilo AM2, para processadores AMD. Optamos por esse modelo para que fique mais fácil conectá-los um no outro, além de o aspecto visual ficar muito melhor.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Montagem

Vamos começar a montagem invertendo a posição dos coolers que ficam sobre os dissipadores. Na forma original, eles ficam direcionados para baixo, soprando ar frio nas hastes de metal para resfriar o processador.

Vamos soltar os parafusos (ou travas) que seguram os ventiladores e fazer com que eles puxem o ar que passa pelos dissipadores em vez de soprar.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O objetivo disso é simples: enquanto um lado vai soltar o ar frio, o outro vai liberar o ar quente.

O peltier possui dois lados: enquanto um deles aquece, o outro esfria. O que existe é um diferencial de temperatura, ou seja, quanto mais frio o lado quente, mais gelado fica o lado frio.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Depois de ligar o peltier para testar e saber qual dos dois lados esquenta e qual esfria, nós podemos seguir para o próximo passo. Vamos aplicar pasta térmica do lado que esfria e acoplá-lo à base do primeiro dissipador, bem no centro.

Em seguida, passamos mais um pouco de pasta térmica na outra face e logo depois posicionamos o segundo dissipador.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Para fixar o conjunto, nós vamos utilizar as braçadeiras de nylon e prender os ganchos dos dissipadores um no outro. Isso deve ser o suficiente para que tudo fique firme e, ao mesmo tempo, garanta o perfeito contato da base dos dissipadores com as superfícies do peltier.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Ajustando a parte elétrica

Com o conjunto montado, vamos preparar os fios que servirão para alimentar tudo. Pegamos os três pares e juntamos com as braçadeiras. Isso não é obrigatório, mas vai servir para manter os cabos de força mais organizados e com um visual muito mais profissional.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Feito isso, pegamos o cabo de energia conversor SATA para IDE e cortamos a ponta que tem o conector SATA; geralmente essa peça vem na cor preta.

O cabo possui quatro fios: dois pretos, um vermelho e um amarelo. Os dois pretos são negativos, o vermelho fornece 5 volts e o amarelo alimenta as peças com 12 volts.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Diferente do que fizemos da última vez em que conectamos o peltier na porta USB, agora vamos conectar o componente direto na fonte de alimentação do computador. Isso vai garantir um grande aumento na potência.

Para fazer isso vamos utilizar o fio amarelo, que fornece 12 volts. Devido a isso, vamos cortar um dos fios pretos e o fio vermelho, já que precisamos apenas do amarelo e de um preto.

Depois desses passos, conectaremos os três fios vermelhos (cooler 1, cooler 2 e peltier) no fio amarelo do cabo de força, e os três fios pretos no correspondente do adaptador. Para finalizar, soldamos os contatos e isolamos os fios.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Finalizando a montagem

A última etapa da montagem é adaptar a saída de ar frio no duto de ar que separamos anteriormente. Esse tipo de componente geralmente vem dividido em duas partes: a base que serve para fixá-lo no gabinete e a outra parte para regular o comprimento da peça. Vamos separá-las, pois precisamos apenas da base.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Posicionamos a parte que resfria do ar-condicionado na base do duto de ar e aplicamos cola quente nas laterais para fixar e vedar o conjunto. Utilizaremos a base para prender o nosso equipamento no gabinete. A parte que removemos do duto de ar possui uma abertura maior de um dos lados. Vamos utilizar essa parte para encaixar no cooler superior, aquele que puxa o ar quente para fora.

Prendendo o ar-condicionado no gabinete

Nosso gabinete já possui duas aberturas na parte superior. Antes dessa modificação, esses dois componentes serviam como exaustores para remover o ar quente de dentro do gabinete. Agora, um dos coolers será removido para a colocação do nosso equipamento e o outro ficará desativado, caso contrário ele iria remover o ar frio que acabou de entrar no gabinete, comprometendo o funcionamento do conjunto.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Tudo o que precisamos fazer é posicionar a parte do cano que libera o ar frio para dentro do gabinete e fixar o aparelho utilizando quatro parafusos. Isso deve ser suficiente para garantir que tudo fique no lugar. Depois disso, basta prender o cabo de alimentação em um conector da fonte de energia do computador; assim, sempre que você ligar ou desligar a máquina, também estará controlando o funcionamento do condicionador de ar.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Atenção: o peltier transforma energia elétrica em energia térmica, portanto ele consome bastante corrente e pode utilizar até 90 watts (se for igual ao nosso modelo) quando ligado em 12 volts. Logo, certifique-se de que a sua fonte de alimentação é forte o suficiente para alimentar o conjunto sem causar problemas para o sistema como um todo.

Qual o lugar ideal para o posicionamento do ar-condicionado no gabinete?

Como nós sabemos, o ar quente sobe e o ar frio desce. Quanto mais frio, mais denso ele fica. Por isso, é comum que os condicionadores de ar fiquem posicionados em lugares mais elevados. Dessa maneira, o ar frio vai descendo e resfriando o ambiente como um todo.

O ideal é que o nosso pequeno condicionador de ar fique posicionado na parte superior do gabinete, sendo que a parte de trás, em cima, continue tendo um exaustor para remover uma fração de ar quente do gabinete, fazendo um ciclo completo que se inicia com o ar frio entrando por cima e pela frente, resfriando o interior do gabinete. Durante esse processo, o ar se aquece e é liberado pelo exaustor posicionado na parte de trás. Dessa maneira, o ar circula de maneira correta no interior do gabinete.

Entretanto, como os modelos são diferentes e nem sempre é possível optar por esse design, é possível trabalhar de outras maneiras; basta prestar atenção no fluxo de ar e você poderá encontrar uma solução que fique mais adequada às suas necessidades.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Por exemplo: você pode colocar o condicionador de ar deitado, só é necessário utilizar uma junção de cano de PVC em 90 graus adaptada na saída de ar. Lembre-se de manter as laterais dos dissipadores livres para que os ventiladores tenham de onde puxar o ar.

Durante os testes, deixamos o sistema ligado por algum tempo. Depois de 15 minutos, a temperatura interna do gabinete já estava cerca de 6 graus menor do que a temperatura ambiente. Uma hora depois, essa temperatura já estava cerca de 10 graus mais baixa.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Nada mau para um sistema tão fácil de ser construído, não é mesmo? Lembre-se: a eficiência do equipamento pode variar, tudo vai depender da forma como você construiu, do seu gabinete e da posição dos componentes internos. A vantagem é que, em dias muito quentes, vale muito mais a pena um cooler jogando ar gelado para dentro do gabinete do que vários jogando ar quente que circula na temperatura ambiente.

Participe do Área 42

Você gostaria de participar do Área 42? Você pode fazer isso de duas maneiras: a primeira é sugerindo ideias de montagens para o quadro, e a segunda é enviando fotos de projetos que você construiu utilizando as instruções que viu aqui no Área 42.

Envie as suas participações para o endereço area42@bxk.com.br.

Cupons de desconto TecMundo: