(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Sony e Microsoft deram grandes shows na E3 2013. PS4 e Xbox One ficaram nos holofotes nas últimas semanas e eles devem ser as plataformas dominantes nos próximos anos, mas será que esses consoles são imbatíveis?

Alguns analistas acreditam que os dois video games podem não ter muito sucesso. Tomando como base as dificuldades enfrentadas pelo Wii U, esses especialistas dizem que os congêneres também não terão reinos prolongados.

A principal alegação é que a tática da Apple pode abalar esse mercado. Depois que a Maçã anunciou o suporte para gamepads — com conectividade via Bluetooth — de terceiros e as tantas possibilidades do AirPlay, algumas opiniões mudaram e alguns sites acreditam que o mercado pode sofrer uma grande invertida.

A plataforma de "jogos" da Apple

Apostando na obsolescência dos hardwares do PS4 e do Xbox One, a Apple poderia convencer os jogadores de que eles não precisam de enormes caixas desatualizadas para rodar seus jogos favoritos. Além disso, a companhia pode se aproveitar do consumismo — muitas pessoas trocam de aparelho todos os anos — e incentivar o uso do iPhone e do iPad para games.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

A propaganda é ótima, mas com o atual funcionamento dos gadgets não seria suficiente. É justamente por isso que os produtos da Apple só podem competir em um futuro próximo. Aproveitando a tecnologia AirPlay (que transmite o conteúdo do iOS para uma Apple TV) e os tais gamepads de terceiros, a empresa teria um grande trunfo em mãos.

Pensando nas atuais tecnologias de transmissão sem fio, realmente seria impossível cogitar esse tipo de sistema de jogos. Contudo, a Maçã vem mudando seus gadgets para o novo padrão WiFi, o qual pode garantir velocidade gigabit no envio e recebimento de dados. Seria muito simples para o jogador plugar seu iPhone em um dock e ligar tudo sem fio.

Além de servir como consoles para usar nas TVs, os gadgets da Apple também continuarão desempenhando as mesmas funções que possuem hoje. Isso quer dizer que você pode usar seu aparelho para fazer ligações telefônicas, ouvir suas músicas favoritas, tirar fotografias, aproveitar games na palma da mão, navegar na web e, de quebra, jogar na TV.

(Fonte da imagem: Reprodução/Apple)

Ainda vai demorar até que o iPad e o iPhone alcancem o potencial de hardware dos consoles, mas não podemos descartar a possibilidade da computação em nuvem — que pode ajudar na questão do processamento de grande volume de dados. Bom, acho que não preciso comentar que essa ideia de video game da Apple não funcionaria muito bem com os preços do Brasil.

O único lado da moeda para os gamers

Se por um lado a Apple pode ter conquistado um grande público com seus gadgets de fácil uso, por outro, ela não conseguiu, de maneira alguma, fazer os verdadeiros gamers trocarem a experiência de um controle físico e de jogos de altíssima qualidade por comandos touch e joguinhos com roteiros e experiências limitadas.

(Fonte da imagem: Divulgação/Xbox)

Não há comparação. Ainda que os games de celular tenham evoluído, eles não entregam a mesma qualidade gráfica, sonora, de jogabilidade e de imersão. Poderíamos até pensar que os smartphones e tablets vão ter seus componentes de hardware substituídos nos próximos anos, mas isso não quer dizer que eles cheguem ao patamar do PS4 ou do Xbox One.

Além disso, não se trata apenas de oferecer uma forma fácil de jogar. O iPhone e o iPad podem ganhar uma série de recursos que facilitem a execução dos games na TV da sala, mas eles jamais serão aparelhos exclusivamente para jogos. Os consoles da Sony, da Microsoft e da Nintendo são produtos que se dedicam a uma única tarefa. É por isso que eles fazem sucesso.

Há ainda outro detalhe a ser levado em consideração: jogos exclusivos. Qual jogador em sã consciência vai largar God of War, Halo e Mario para brincar com joguinhos sem muitos atrativos?  Não desmerecendo os games do iOS, mas há um enorme salto na dedicação das desenvolvedoras. No fim das contas, os gamers ainda querem ter seus consoles na sala.

(Fonte da imagem: Reprodução/PlayStation)

Para finalizar, devo notar que a Apple ainda tem alguns títulos especialmente produzidos para o iPad e o iPhone, mas seus gadgets não são os mais vendidos. Talvez, seja muito mais coerente pensar nesses aparelhos como concorrentes do Android e do Windows Phone. Você trocaria um PlayStation 4 ou um Xbox One por um iPhone? Deixe sua opinião!

Cupons de desconto TecMundo: