Médico comenta os últimos meses de vida de Steve Jobs

1 min de leitura
Imagem de: Médico comenta os últimos meses de vida de Steve Jobs
Avatar do autor

(Fonte da imagem: Divulgação / Apple)

Muito já foi comentado sobre a morte de Steve Jobs, ocorrida nesta quarta-feira (05), mas pouco se sabe sobre o período que antecedeu ao falecimento do cofundador e ex-CEO da Apple. Em entrevista ao The New York Times, o médico pessoal de Jobs, Dean Ornish, comentou sobre o estado de saúde de seu paciente mais célebre, além de como ele passou os últimos meses antes da morte.

De acordo com Ornish, por exemplo, o aviso de que o câncer estaria em estágio terminal – e que restava pouco tempo de vida ao empresário – foi feito em fevereiro deste ano. Vale lembrar que a renúncia de Jobs ao cargo na Apple foi apenas em agosto, época em que ele já aparentava estar bastante abatido pela doença.

A partir daí, uma legião de amigos e fãs do trabalho de Jobs tentava visitá-lo em sua casa, localizada em Palo Alto, Califórnia. Laurene, a esposa do empresário, era quem atendia a maioria das ligações e avisava que o marido estava cansado demais para receber visitas. Em suas últimas semanas de vida, ele estaria tão fraco que mal conseguia subir as escadas de casa.

Mas nem a falta de força o impediu de fazer o que mais gostou durante toda a vida: planejar. De acordo com Ornish, Jobs iniciou uma série de encontros com pessoas importantes, como John Doerr e Bill Campbell, altos investidores da Apple, além do presidente da Disney, Robert Iger. Ele até teria dado instruções a sua antiga equipe sobre a apresentação do iPhone 4S, que aconteceu na última terça-feira (04).

Mas o tempo era bem dividido com sua família, que Jobs considerava como seu maior bem – “ele preferiu ‘dez mil vezes’ ter filhos do que fazer qualquer outra coisa na vida”, disse Ornish ao jornal.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Médico comenta os últimos meses de vida de Steve Jobs