A loja e plataforma virtual Steam anunciou nesta quarta-feira (6) que não vai mais aceitar bitcoin como forma de pagamento por jogos, itens e demais produtos que são vendidos sob a marca. Vale lembrar que a criptomoeda é a mais popular e valorizada atualmente, batendo recorde atrás de recorde e atingindo US$ 12 mil por unidade.

Segundo o Steam, são dois problemas. O primeiro é a instabilidade histórica da moeda — algo que sempre aconteceu, mas nunca sob uma flutuação tão alta quanto atualmente. A loja cita como exemplo o fato de que, em questão de dias, ela pode desvalorizar em 25%, afetando quem estava em vias de adquirri um jogo. Ela argumenta ainda que a flutuação na moeda pode fazer o preço mudar enquanto a compra é finalizada, e isso pode causar prejuízos aos jogadores.

O segundo problema está diretamente ligado ao anterior. É sobre as altas taxas de transação, que podem fazer com que as compras fiquem bem mais caras do que deveriam, tornando o meio de pagamento nada vantajoso. Em 2017, a rede bitcoin chegou a cobrar aproximadamente R$ 65 por transação na semana passada e o Steam precisou rever as cobranças com usuários diversas vezes via reembolso ou transferência de fundos adicionais por parte do comprador.

E as outras?

"No futuro, é possível que reavaliaremos se o Bitcoin poderá atender às necessidades do Steam e de nossa comunidade corretamente. Faremos o melhor possível para corrigir a situação dos nossos usuários que foram impactados por algumas das situações listadas acima", diz o comunicado oficial.

Nos comentários, são vários os pedidos para que o Steam mude de ideia a respeito de outras criptomoedas e adote unidades também em alta, mas não tão populares, como IOTA, Lightcoin e Ethereum. Por enquanto, o Steam não se manifestou a respeito das solicitações.

Cupons de desconto TecMundo: