Imagine você realizar reconhecimento facial, detecção de objetos, identificação da geolocalização de fotos e até mesmo a raça de um cachorro apenas encaixando o alvo na tela do seu celular via câmera? A Google acaba de lançar uma rede baseada em inteligência artificial (IA) que faz justamente isso. A MobileNets usa sofisticados algoritmos em nuvem para processar as informações e fornecer dados precisos rapidamente.

Tendência é de que as empresas trabalhem com processadores capazes de trazer a varredura nativa nos smartphones

O sistema utiliza a biblioteca da máquina de aprendizado em código aberto TensorFlow para envolver uma grande variedade de aparelhos, dos mais diversos tamanhos e capacidade de hardware, a fim de "treiná-los" para realizar várias tarefas.

As ferramentas podem ser adaptadas para agir em conjunto com a realidade aumentada ou programas para deficientes. A chegada de novos apps com a novidade pode representar uma nova era para o uso de smartphones no comércio, pois assim seria possível, por exemplo, obter dados de diferentes produtos apenas mirando para eles. Além disso, ter um software direto no dispositivo sem o uso da web pode melhorar o desempenho e a segurança.

Esquema que ilustra o funcionamento da MobileNets

Apple, Google, Facebook e até mesmo o Snapchat já manifestaram interesse em oferecer essas funcionalidades já embutidas nos telefones. Então, a expectativa é de que nos próximos meses as companhias revelem processadores com poder suficiente para esse tipo de varredura.