A disputa diplomática entre Estados Unidos e Turquia atingiu de vez os fãs de tecnologia do país europeu. Após o presidente Recep Tayyip Erdogan pedir um boicote da população aos produtos da Apple, apoiadores do governo começaram a gravar vídeos mostrando os aparelhos da Maçã sendo destruídos sem dó nem piedade.

No vídeo abaixo, um grupo de pessoas protesta quebrando cinco aparelhos com uma marreta, estendendo a bandeira da Turquia. Um outro clipe que circula no YouTube mostra um jovem atirando em um iPhone com uma pistola, deixando um furo na tela.

Já o clipe a seguir mostra um compilado de pessoas destruindo o aparelho, a maioria usando martelos para danificar a carcaça do dispositivo. Alguns manifestantes estão usando táticas mais baratas: derramar o conteúdo de garrafas de refrigerante de marcas do país inimigo, por exemplo.

Entenda o caso

Dando continuidade a uma série de medidas protecionistas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dobrou o preço de importação de aço e alumínio para alguns parceiros comerciais, incluindo a Turquia.

Porém, a medida específica contra a Turquia foi uma represália, já que aconteceu após a recusa da liberação do pastor Andrew Brunson. Por que ele é importante? Além de ser norte-americano, ele estava detido no paír europeu por ser acusado de conspirar contra Erdogan, enquanto os EUA dizem que ele é um preso político.

"Vamos boicotar os produtos eletrônicos dos Estados Unidos e produzir todos os produtos que estamos importando do exterior, com moeda estrangeira aqui, e nós seremos os que exportam esses produtos. Se eles têm iPhones, por outro lado existe a Samsung. E temos o nosso próprio Vestel", afirmou Erdogan, citando a concorrência direta da Maçã e também uma fabricante local.

Cupons de desconto TecMundo: