Cineasta indicada ao Oscar critica Bolsonaro no New York Times

1 min de leitura
Imagem de: Cineasta indicada ao Oscar critica Bolsonaro no New York Times
Avatar do autor

A cineasta Petra Costa, indicada ao Oscar de melhor documentário com o filme “Democracia em Vertigem”, fez duras críticas ao presidente brasileiro em artigo publicado no jornal americano The New York Times.

No texto, a cineasta lembra referências nazistas do governo Bolsonaro, como o pronunciamento do ex-secretário nacional da Cultura, Roberto Alvim, o slogan "Lügenpresse" (imprensa mentirosa) do nazismo e as tentativas de descreditar a imprensa, como a perseguição do governo ao jornalista Glenn Greenwald.

Petra Costa considera que o ex-juiz Sérgio Moro foi nomeado ministro da Justiça em recompensa à condenação de Lula, que abriu caminho para a eleição de Bolsonaro. A diretora avalia que a eleição de “um congressista obscuro de extrema-direita, homofóbico e misógino, foi devida a uma extraordinária campanha de desinformação das mídias sociais”.

A documentarista enumera casos em que a arte e a cultura vêm sendo atacada no país, como por exemplo, quando o líder do governo caracterizou o carnaval como uma festa degenerada, a censura de obras de arte e o ataque terrorista à produtora Porta dos Fundos.

A cineasta termina o artigo afirmando que “não há luz visível no fim do túnel nesta guerra cultural que procura censurar valores liberais e progressistas e a destruição da verdade para impor um fascismo tropical”. Ela lembra que as elites foram omissas enquanto o nazismo avançava.

Outras democracias têm um risco semelhante, como lembra a diretora. “O que inicialmente pareciam casos isolados (na Índia, Brasil e Turquia) se transformou em uma epidemia global”, escreveu Petra.

Disputa do Oscar

Documentário que concorre ao Oscar aborda mandatos de Lula e Dilma (Fonte: Democracia em Vertigem/Divulgação)

O documentário “Democracia em Vertigem” acompanha a história da família da cineasta, no contexto do primeiro mandato do presidente Lula até o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, fazendo um paralelo com a crise econômico-política e social que se instalou no Brasil. A cerimônia do Oscar acontecerá no dia 9 de fevereiro.

Leia tambémOscar 2020: confira os indicados à maior premiação do cinema

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Cineasta indicada ao Oscar critica Bolsonaro no New York Times