Netflix responde críticas de Spielberg sobre filmes lançados no streaming

1 min de leitura
Imagem de: Netflix responde críticas de Spielberg sobre filmes lançados no streaming
Avatar do autor

A novela entre Steven Spielberg e os serviços de streaming deve continuar ainda por um tempo. O respeitado diretor não poupou palavras para criticar o fato de filmes lançados em plataformas desse tipo serem indicados ao Oscar 2019, ocorrido em 24 de fevereiro. Mas, depois de certo silêncio, a Netflix decidiu mostrar seu posicionamento a respeito do assunto em sua conta oficial no Twitter.

A companhia defendeu na publicação seu amor pelo cinema e citou outros aspectos que também considera importante em sua experiência, como permitir que pessoas possam consumir esse tipo de conteúdo, quando não têm condição de pagar por um ingresso ou quando sua cidade não tem salas de cinema.

Além disso, a Netflix ainda afirmou que prefere “deixar que todos possam aproveitar lançamentos ao mesmo tempo e em qualquer lugar”. Também apontou que sua plataforma abre espaço para que filmmakers possam ter mais meios de “compartilhar sua arte.” Encerrou o assunto dizendo que “Essas coisas não são mutualmente exclusivas.”

Fonte: reprodução/Twitter/Netflix.

Não há dúvidas de que a opinião assumida pelo serviço de streaming é direcionada para Spielberg. Recentemente, ele declarou que diretores de cinema têm o compromisso de criar experiências voltadas paras as grandes telas. Ainda classificou filmes lançados nessas plataformas como “de TV”.

O ano de 2019 foi realmente grandioso para a Netflix, especialmente por “Roma”, de Alfonso Cuarón. O longa teve sua distribuição principal pelo serviço de transmissão de conteúdo. Para concorrer aos principais prêmios, foi lançado em poucas sessões de cinema. Ainda assim, levou três estatuetas do Oscar, em categorias importantes, como: melhor direção, filme estrangeiro e fotografia. Já “Absorvendo o tabu”, ainda levou o prêmio de melhor na categoria curta-metragem de documentário.

Cuarón recebe o prêmio de melhor diretor no Oscar 2019. Fonte: Getty Images/Oscar.

Nos bastidores do evento, espalharam-se rumores de que não houve outras premiações para Cuarón – como de melhor filme, no qual o vencedor foi “Green Book”– porque a academia teme a forte ascensão das plataformas de streaming. Steven Spielberg também tem grande influência nas votações do prêmio, sendo um dos principais representantes dos diretores de cinema, o que pode ter influenciado algumas escolhas no lugar de outras.

Essas especulações devem se confirmar a partir de abril, quando a academia irá discutir as novas regras para que filmes possam se tornar elegíveis em 2020. Então, a discussão streaming X salas de cinema ainda irá percorrer um bom caminho.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Netflix responde críticas de Spielberg sobre filmes lançados no streaming