Uma pesquisa realizada pelos organizadores da Game Developers Conference entre membros da indústria mostra que, mesmo responsáveis por diversas polêmicas em 2017, as caixas de loot vieram para ficar. Segundo os resultados, 11% dos 4 mil profissionais consultados trabalham em jogos que possuem alguma espécie de mecanismo do tipo.

O trabalho também mostra que 49% dos desenvolvedores trabalham jogos nos moldes de venda tradicionais, 39% em experiências grátis para baixar e 23% já pensam em trazer DLCs pagos para seus games. Para completar, 22% pretendem vender itens usando métodos de pagamento com “dinheiro real”, sendo que 11% querem introduzir caixas que deverão ser compradas.

Questionados sobre as caixas de loot, os desenvolvedores afirmaram estar receosos sobre os efeitos causados por ela e reforçaram a impressão de que elas podem ser usadas contanto que tragam somente mudanças cosméticas. Além disso, há a preocupação de fazer com que elas não afetam muito o gameplay e garantam recompensas que também podem ser conquistadas com a simples jogatina.

Nintendo Switch

A pesquisa da GDC também mostra um interesse crescente no Switch: 12% dos participantes estão trabalhando com a plataforma, sendo que 15% querem trazer seus jogos futuros para ela. No entanto, o interesse pelo console (36%) ainda está atrás do PC (59%), PS4/PS4 Pro (39%) e do Xbox One/Xbox One X (28%).

Para completar, também houve um ligeiro aumento de interesse na realidade virtual em relação ao ano passado. Enquanto em 2017 17% dos desenvolvedores queriam trabalhar com a área, essa quantidade passou para 19% na pesquisa relacionada ao ano atual. Este ano, a Game Developers Conference acontece entre os dias 19 e 23 de março no Moscone Convention Center, em São Francisco.

Pesquisa da GDC mostra que caixas de loot vieram para ficar via Voxel

Cupons de desconto TecMundo: