Apple e Xiaomi podem ser estreantes no que se refere aos relógios inteligentes (incluindo nessa categoria os fitness trackers também), mas chegaram com tudo no mercado e passaram facilmente a Samsung, que foi uma das primeiras companhias a lançar esse tipo de vestível eletrônico.

O Apple Watch, lançado em abril, já vendeu mais de 7 milhões de unidades, enquanto o Mi Band, lançado no ano passado pela Xiaomi, passou das 6 milhões de unidades. Já a Samsung só conseguiu comercializar 2 milhões de unidades do Galaxy Gear em dois anos.

Com esse desempenho, a companhia de Cupertino deve entrar diretamente no primeiro lugar entre as fabricantes de relógios inteligentes no segundo trimestre deste ano. Elaborada pelo IDC, a lista do primeiro trimestre tinha a Fitbit em primeiro lugar, Xiaomi em segundo e Garmin em terceiro (a Samsung foi só a quarta colocada).

Faixa de preços diferente

É claro que o relógio inteligente da Apple, que custa a partir de US$ 349, está em um mercado bem diferente do Mi Band, de uma fabricante conhecida pelos preços baixos (o aparelho sai pelo equivalente a R$ 50 na Índia). Outra companhia que compete na linha econômica é a Fitbit, que vendeu 3,9 milhões de relógios no primeiro trimestre deste ano.

Aliás, a Fitbit mostra em um gráfico de vendas semanais que não se abalou com a estreia do Apple Watch e até está vendendo mais que o aparelho da Maçã. Claro que isso é um instantâneo do momento e que, além do mais, o relógio da Apple só está sendo vendido nas lojas próprias da companhia, ou seja, a distribuição é relativamente limitada.

Agora, as esperanças da Samsung estão no Orbis, relógio inteligente que será revelado em setembro na IFA, a maior feira de eletrônicos do mundo.

Cupons de desconto TecMundo: