Um estudante de engenharia de apenas 20 anos da Carnegie Mellon University, nos Estados Unidos, foi preso por desenvolver e comercializar uma ferramenta criminosa que permitia a espionagem de dispositivos Android.

O malandro se chama Morgan C. Culbertson e admitiu o crime no tribunal. Sob o nada original apelido de "Android", o rapaz criou um produto chamado Dendroid e vendeu a ferramenta em um mercado negro online para criminosos virtuais. Um holandês chamado Mike e outro chamado Elzig teriam sido seus associados na época.

Com o software, era possível infectar aparelhos e enviar remotamente da vítima ao criminoso dados como textos, arquivos, histórico de chamadas e de navegação, além de ativar a câmera do aparelho e tirar fotos — tudo isso sem o alvo desconfiar.

Futuro em aberto

O rapaz passou mais de um ano criando o software e vendia cada licença por US$ 300 (cerca de R$ 1.075 na cotação atual). A comercialização acontecia no serviço Darkode, que foi fechado pelo FBI e virou a grande fonte de pistas sobre atividade criminosa da agência.

O julgamento de Culbertson é em dezembro e ele pode pegar até dez anos de prisão, mas é improvável que a pena seja alta. Ele ainda prometeu às autoridades que usará as habilidades no futuro somente para a proteção de sistemas.

Cupons de desconto TecMundo: