O fenômeno Snapchat está atingindo proporções perigosas no “grau de vício” das pessoas. Convenhamos: os smartphones já dominam nossas vidas. Mas é preciso ter controle sobre isso, algo que a norte-americana Christal McGee, de apenas 18 anos, não conseguiu: ela está sendo processada por ter provocado um acidente de carro ao brincar com o filtro de velocidade do app. A jovem conduzia um veículo e estava com outros três amigos. O caso ocorreu em setembro do ano passado, e agora o processo ganha força.

McGee e os passageiros estavam em Spalding County, localizada na Georgia, EUA, quando quis, intencionalmente, fazer o recurso do aplicativo bater os 160 km/h. Ao atingir 172 quilômetros por hora, a tragédia era iminente: o veículo atingiu um Mitsubishi que, por acaso, era um carro do Uber.

O condutor do app de motoristas particulares , Wentworth Maynard, ficou com sérias sequelas no cérebro e, agora, depende de uma cadeira de rodas e dos cuidados da família. Os passageiros que estavam no carro da garota não apresentaram ferimentos graves. Como resultado dessa equação, a esposa do motorista do Uber resolveu mover um processo contra a jovem de 18 anos e o Snapchat, alegando que o app contém um recurso que estimularia os usuários a se submeterem a situações arriscadas – no caso, o contador da velocidade.

Esse é o estado em que um dos carros ficou após o acidente

Ah, esses jovens...

Os advogados que trabalham a favor do casal que processa McGee disseram, em uma declaração, que o processo visa mostrar que o Snapchat “oferece itens perigosos”. “O Snapchat tem uma obrigação, pela lei, de não ter itens perigosos no âmbito comercial e eles têm responsabilidade de agir racionalmente para dar passos e eliminar riscos associados aos seus produtos”, disse Michael Terry, um dos advogados.

“McGee quis postar uma imagem de si própria ganhando velocidade. Ela argumenta que estava ‘apenas tentando fazer o carro atingir 160 quilômetros por hora para postar no Snapchat’. Quando o filtro bateu 182 quilômetros por hora, McGee disse que estava pronta para postar. Naquele momento, os passageiros viram o Mitsubishi à frente e gritaram”, diz a defesa dos advogados.

O fato marcante é que, mesmo após a tragédia, a garota teria continuado a postar conteúdo no Snapchat, mostrando seu estado no aplicativo. “Que sorte estar viva”, ela teria dito, sem se preocupar mais com a situação ou com as vítimas, algo que também vai pesar contra ela no processo.

A motorista que provocou o acidente não largou o Snapchat nem no momento da tragédia

Enquanto isso, o motorista do Mitsubishi, conforme mencionado, está em cadeira de rodas e sofre de lesões permanentes no cérebro, tendo de ficar aos cuidados da esposa e da família pelo resto da vida.

Snapchat provoca acidente de carro quase fatal: você acha que a culpa maior é do app ou da motorista irresponsável? Ou dos dois? Opine no Fórum do TecMundo.

Cupons de desconto TecMundo: