(Fonte da imagem: Reprodução/CNN)

Entre os assuntos “do momento”, um dos que mais fazem sucesso é a ideia de fabricar qualquer objeto dentro de sua própria casa, com impressoras 3D. A possibilidade aumenta a cada dia, com a diminuição no preço dos equipamentos e, consequentemente, popularização dos aparelhos.

Enquanto o sistema apresenta um enorme potencial para diversos mercados, ele também pode ser usado de formas não tão interessantes assim e, em alguns casos, até mesmo bastante perigosas.

O que mais tem assustado os especialistas na área é que, mesmo com regulamentações, não existe como garantir que arquivos para a impressão destes elementos não sejam criados ou distribuídos. Neste artigo, reunimos alguns dos elementos que podem ser criados para o mal em impressoras 3D.

Armas

O tópico já está ficando antigo, mas a primeira coisa que pode ser pensada ao imaginar elementos perigosos sendo impressos é a criação de armas de fogo caseira. Já existem versões com pinos metálicos e modelos totalmente produzidos em impressoras 3D, que não poderiam nem mesmo ser identificados em detectores de metais em aeroportos e bancos.

Embora o projeto tenha sido impedido de circular na rede e sua fabricação seja considerada crime no Brasil (que conta com uma lei que proíbe a fabricação de armas no país), já sabemos que para pessoas mal-intencionadas leis e proibições não são barreiras.

Clonagem de cartões

(Fonte da imagem: Reprodução/3D Printing)

Uma quadrilha foi pega em Sydney, na Austrália, clonando cartões com dispositivos fabricados em impressoras 3D. De acordo com o departamento de polícia local, a gangue roubou cerca de US$ 400 mil de milhares de clientes de caixas automáticos.

O crime em si não é novidade, mas a tática chamada de skimming ganha ares mais profissionais com o uso de impressoras 3D. Antes, os fraudadores criavam carcaças de plástico para substituição do local de inserção de cartões.

No entanto, os novos elementos poderiam ser reconhecidos com facilidade. Já os dispositivos finalizados com a modelagem e impressão em 3D acabam sendo muito semelhantes ao acabamento encontrado nos equipamentos, fazendo com que seja praticamente impossível perceber o golpe ao se aproximar de um caixa automático.

Chaves

(Fonte da imagem: Reprodução/3D Printing)

Se você pode criar ou copiar qualquer objeto com uma impressora 3D, as chaves não ficam de fora disso. E não estamos falando de acabar com o trabalho dos chaveiros, mas sim com a possibilidade de criar cópias de chaves com um simples escaneamento do objeto.

Um membro de um grupo de discussão alemão, por exemplo, conseguiu copiar com sucesso cópias das chaves de algemas utilizadas pela polícia holandesa. Surpreendentemente, ele foi capaz de fazer a reprodução com nada mais do que uma fotografia da chave pendurada na cintura de um policial e um pouco de conhecimento em matemática básica para ajustar as medidas.

Depois disso, ele não só imprimiu o objeto com sucesso, como também disponibilizou o arquivo para download na internet. Não existem provas de que ela funcione ou de que algum criminoso já tenha utilizado o método, mas isso é, sem dúvidas, uma situação no mínimo assustadora.

Remédios (ou drogas)

Você já deve ter ouvido falar que a NASA está investindo pesado na criação de impressoras 3D para pizzas, mas não é só comida que os equipamentos podem criar. Outras indústrias também podem ver uma revolução acontecer com a possibilidade de criar produtos em casa.

Uma delas é a farmacêutica. Enquanto a medicina pode se beneficiar com a criação de equipamentos e próteses, Lee Cronin , um químico da Universidade de Glasgow, está desenvolvendo um protótipo para a fabricação independente de remédios – e, consequentemente, drogas.

Segundo ele, com um sistema de farmácias online, você compraria o “projeto” com uma prescrição digital, no entanto, isso é mais uma coisa que pode ser facilmente burlada, seja nos meios digitais ou fora deles.

Pirataria e falsificação

(Fonte da imagem: Reprodução/Fujifilm)

De tudo neste artigo, esse talvez seja o item menos perigoso em questões de segurança, mas não menos “do mal”. Com a possibilidade de reproduzir qualquer coisa, a pirataria é certa. Mas, além de bonequinhos de ação 3D sem licença, você pode também imprimir cópias perfeitas de obras de arte.

Isso abre espaço para centenas de crimes de falsificação, o que não é boa notícia para os colecionadores de arte. Além das pinturas, o equipamento criado pela Fujifilm também consegue reproduzir com perfeição as molduras e pequenas notas existentes nos quadros originais.

No entanto, embora a técnica consiga reproduzir obras de arte de valor inestimável, especialistas sem dúvida são capazes de perceber a diferença entre a tinta e o plástico. Mas nada impede que em pouco tempo falsificadores aprimorem a técnica.

Cupons de desconto TecMundo: