Apesar de já existirem por cerca de 20 anos, impressoras 3D ainda são uma novidade no mercado de massa. Inicialmente, pelo preço – que poderia chegar até US$ 1 milhão – e tamanho, este tipo de impressora só era encontrado em grandes fábricas, preocupadas em fazer protótipos de seus produtos.

Ainda assim, o custo era alto, a demora era grande e o resultado nem sempre satisfatório. Com o avanço da tecnologia e novas pesquisas, impressoras 3D tornaram-se algo cada vez mais tangível para o consumidor comum.

Atualmente, empresas dedicam suas pesquisas para popularizar este tipo de impressão, fazendo com que o custo destes aparelhos tenha caído 50% de oito anos para cá. O preço médio de uma impressora 3D pequena, para que você possa ter em casa, varia hoje na casa de US$ 4 mil.

Mas o que é uma impressora 3D?
Já publicamos aqui no Baixaki um artigo que explica mais detalhadamente como as impressoras 3D funcionam, mas vamos a uma rápida explicação antes de passar para as principais utilidades destas máquinas.

Nada de papel nesta impressora. Os materiais básicos para impressão são plástico, silicone, gesso ou até mesmo metal. A partir de um design feito no computador, a impressora sobrepõe finas camadas de material para formar o produto.

Veja abaixo um vídeo que mostra a produção de um protótipo:


Ao permitir que um protótipo saia do computador e seja impresso em pouco tempo na própria fábrica – sem precisar de um serviço terceirizado –, as impressoras 3D, também conhecidas como “rapid prototypers”, trazem para o mercado não só agilidade, mas também economia.

Como você vai utilizar as impressoras 3D
Muitos serviços com impressão em três dimensões já estão disponíveis no mercado internacional. São vários sites que fazem produtos por encomenda. Mas a ideia é que em breve, e algumas empresas vêm trabalhando forte para isso, cada um tenha sua própria impressora 3D.

Será possível, e não em um futuro muito distante, comprar apenas projetos de brinquedos e objetos para imprimi-los em casa. É o objeto como informação. A fabricante Desktop Factory tem se empenhado bastante em produzir impressoras de qualidade, mas também com preço acessível.

Reprodução: Figure  PrintsO foco é criar um produto que seja mais simples de utilizar do que as impressoras comerciais, em um tamanho menor e com preço abaixo de U$ 5 mil. Mas, enquanto as impressoras não estão totalmente acessíveis ao consumidor comum, algumas empresas funcionam como mediadores nesse processo.

Figure Prints é um site especializado em bonecos do jogo World of Warcraft.  É possível escolher o personagem que quiser, alterando, inclusive, sua pose. Você faz o pedido pela internet e recebe em casa um boneco colorido e de alta qualidade, impresso em 3D.

A americana Shapeways e a neozelandesa Ponoko também são sites especializados em impressão 3D. Através dessas empresas você pode criar o que quiser. São objetos como sapatos, joias, brinquedos, bonecos e diversos utensílios.

 

Reprodução: Ponoko

Produtos criados através de uma impressora 3D

É possível enviar seu próprio projeto de um produto que quer produzir, ou, então, comprar um arquivo digital disponibilizado por designers e arquitetos. O preço desses arquivos varia entre US$ 50 e US$ 150. Mas também é possível enviar um desenho para que a empresa produza o arquivo digital, fazendo os ajustes necessários:


Estas impressoras são capazes de produzir peças tão complexas que, no caso das impressoras 3D mais simplificadas, é possível imprimir boa parte das peças que formam o próprio aparelho! Isso demonstra a grande qualidade de impressão já atingida.

A aplicação no setor de saúde
Além de trazer dinamismo para o design, facilitando a produção e oferecendo milhares de alternativas, as impressoras 3D também são muito importantes para a medicina moderna. Uma prótese, trabalho árduo e tão importante, pode ser produzida a partir de um arquivo digital.

Reprodução: NikeImplantes dentários e aparelhos auditivos são alguns dos exemplos de objetos que podem ser criados com maior perfeição através da impressão 3D. Além disso, estudos mais avançados também pretendem produzir amostras de pele e vasos sanguíneos, que podem ajudar em transplantes.

Próteses para pessoas que perderam uma parte do corpo são cada vez mais aperfeiçoadas com novas tecnologias, mas a grande revolução das impressoras 3D é a possibilidade de produzir membros que se assemelham aos que foram perdidos.

Ao passar um scanner sobre uma perna, por exemplo, é possível produzir uma prótese baseada nestas informações. Isso gera um produto mais anatômico, confortável e fiel ao membro perdido.

Essas próteses já têm sido produzidas nos Estados Unidos, com materiais como metal e plástico ultrarresistente. Além disso, caixas cranianas e próteses ósseas também são desenvolvidas com maior perfeição através de impressoras 3D.

Fim da era da produção em massa?
Impressora 3DAs impressoras 3D ainda não são capazes de produzir cópias exatamente iguais. No entanto, pesquisadores como o designer americano Scott Summit – responsável pela produção de próteses para soldados que perderam partes do corpo nas guerras no Oriente Médio – afirmam que a era da reprodutibilidade idêntica pode estar no final, com ou sem as impressoras 3D.

Segundo Summit, é cada vez maior o número de empresas que disponibilizam serviços personalizados, produzindo itens únicos, conhecidos como “one of a kind”. E nessa onda de produtos integralmente personalizáveis e individuais, as impressoras 3D são um item fundamental para a produção.

Os serviços de impressão 3D estão mais perto de nós do que se imagina. Empresas como a paulista FI Protótipos e Maquetes já fornecem o serviço de modo mais acessível no Brasil. A previsão é de que, em breve, todos terão acesso aos arquivos digitais para que possam produzir objetos e protótipos sem sair de casa.