Há algum tempo, nós fizemos a análise da impressora 3D Replicator 2, produzida pela americana MakerBot.

Desta vez, nós vamos mostrar um modelo um pouco mais poderoso: trata-se da MakerBot Replicator 2X. A impressora é uma evolução da anterior e traz alguns recursos importantes e que podem fazer toda a diferença, como duas extrusoras e uma plataforma de impressão aquecida.

Mas o que significam essas diferenças? Isso é o que vamos ver agora.

Design

O design da Replicator 2X é basicamente o mesmo da Replicator 2. Isso já era de se esperar, já que o modelo é uma versão “tunada” da impressora.

O corpo da impressora é coberto por painéis de aço revestidos com tinta preta. A parte interna é constituída pelo mesmo material e, para garantir o bom gosto, LEDs multicoloridos iluminam o interior da Replicator 2X.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

As janelas laterais e a janela frontal possuem uma tampa de acrílico, e essa é uma das diferenças principais do modelo para a sua versão comum. Sua função é manter a temperatura estável dentro da câmara de impressão, tudo para garantir impressões com mais qualidade — principalmente quando a matéria-prima utilizada é o ABS.

A Replicator 2X possui duas extrusoras posicionadas em paralelo sobre o mecanismo de impressão. Cada uma recebe o seu próprio filamento plástico, permitindo a impressão de objetos com duas cores diferentes ou dois tipos de plásticos ao mesmo tempo.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Para controlar as funções principais do equipamento, a impressora traz uma tela de cristal líquido e um direcional — que lembra um controle de video game — localizados na parte da frente. Graças a isso, até mesmo quem nunca viu uma impressora 3D na vida consegue navegar pelas opções sem muitos problemas.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Os dois rolos de filamento ficam fixos na parte de trás da impressora.

Duas extrusoras

A principal diferença da Replicator 2 para a Replicator 2X são as duas extrusoras que acompanham o segundo modelo. Com elas é possível imprimir objetos com até duas cores distintas ao mesmo tempo. Para fazer isso com uma impressora tradicional, é necessário pausar a impressão e substituir o filamento a cada camada — um processo que pode ser extremamente trabalhoso.

Duas extrusoras também permitem a mistura de materiais diferentes: você pode criar obras mistas, utilizando ABS e PLA ao mesmo tempo, por exemplo. Para completar, você pode ter uma extrusora com um diâmetro de saída diferente do outro, permitindo a criação de camadas — ou partes — de resolução diferente.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Entretanto, imprimir dois itens inteiramente diferentes, ao mesmo tempo, ainda não é possível, uma vez que ambas estão presas no mesmo mecanismo de movimentação. Imprimir com as duas extrusoras simultaneamente só é possível se forem dois objetos de tamanho pequeno e com o mesmo formato.

Outra grande vantagem de se trabalhar com duas extrusoras é a possibilidade de se imprimir suportes de plástico que podem ser dissolvidos mais tarde, permitindo a impressão de modelos com partes móveis.

Funciona assim: você carrega a primeira extrusora com o PVA, que é um plástico solúvel em água. A segunda extrusora recebe o plástico normal, que pode ser o PLA ou o ABS. Enquanto a segunda imprime as partes do objeto definitivo, a primeira imprime suportes de plástico para manter as peças no lugar. Assim que a impressão termina, basta diluir os suportes com água e manter somente o que foi impresso com a segunda extrusora.

Plataforma aquecida e janelas de acrílico

A plataforma aquecida ajuda a manter o objeto ainda quente enquanto ele está sendo impresso. Com isso, é possível evitar rachaduras na base, já que ela esfria mais rápido que o restante.

Para simplificar: a plataforma aquecida faz com que a impressão fique mais “uniforme” como um todo, garantindo impressões com mais qualidade, em especial modelos impressos com o ABS, que tendem a sofrer mais com esse problema.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Devido à composição desse plástico, os itens modelados com ele podem apresentar pequenas falhas se o material esfriar rápido demais. É como se fosse um pequeno choque térmico. Com uma câmara de impressão fechada, é menos provável que o plástico sofra com esse tipo de problema.

E é aí que entram as janelas de acrílico da MakerBot Replicator 2X. Elas trabalham em conjunto com a plataforma aquecida e ajudam a garantir a temperatura estável dentro da câmara de impressão, evitando que o objeto sofra choques térmicos enquanto está sendo impresso. Desse modo, é possível ter impressões com mais qualidade.

A área de impressão é grande, permitindo a criação de objetos com até 25 x 16 x 15 centímetros.

Matéria-prima utilizada

A Replicator 2X pode trabalhar primariamente com dois tipos de filamentos plásticos: o PLA ou o ABS. Cada um possui suas vantagens e desvantagens, e a escolha do material deve ser feita de acordo com o que você vai imprimir. Confira as principais diferenças entre os dois:

  • ABS: o material mais comum utilizado nas impressoras de modelagem por fusão e depósito (as mais comuns e mais acessíveis ao público em geral) é o ABS, ou acrilonitrila butadieno estireno. Esse tipo de polímero é bastante rígido e leve, apresentando um bom equilíbrio entre resistência e flexibilidade;
  • PLA: o PLA ou ácido poliático é um polímero biodegradável que é produzido a partir de ácido láctico fermentado por culturas. Esse tipo de matéria-prima é mais eficiente que o ABS em determinadas moldagens, pois tende a deformar menos depois da aplicação e libera menos fumaça ao atingir o seu ponto de fusão, além de ser biodegradável.

Os materiais impressos com ABS podem apresentar uma qualidade final um pouco maior, porém o PLA possui um ponto de fusão menor e resulta em objetos mais resistentes no final. Além disso, como o PLA é menos viscoso quando em estado líquido, ele exige menos força da extrusora na hora de expelir o material, o que pode garantir um pouco mais de durabilidade para os equipamentos.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Não existe muita diferença de preço entre os dois, pois ambos são materiais relativamente baratos. Você deve escolher aquele que mais se adequa à sua impressora e aos seus objetivos.

Dê asas à sua imaginação

Assim como acontece a Replicator 2, a 2X traz diversos modelos prontos para a impressão, todos armazenados no SD card que acompanha o equipamento. A diferença é que a impressora carrega alguns objetos exclusivos para a utilização das duas extrusoras.

Caso você deseje imprimir algo do zero, vai precisar ter um pouco de habilidade com os softwares de modelagem 3D no computador.

(Fonte da imagem: Reprodução/Blender Cookie)

Nesse ponto, a MakerBot não deixa os usuários sozinhos. A empresa oferece uma vasta documentação que sugere uma infinidade de softwares — gratuitos ou não — para que você possa começar a modelar no computador. Pode não ser muito fácil criar tudo no início, mas basta ter um pouco de paciência e em pouco tempo você estará criando obras maravilhosas.

Baixe os objetos e imprima à vontade

Caso você não possa criar algo completamente do zero, é possível baixar um modelo criado por outras pessoas no Thingiverse, que é uma comunidade criada pela MakerBot para o compartilhamento de objetos para impressão e informações relacionadas aos equipamentos.

Basta acessar o site, se cadastrar, escolher o item, baixar e imprimir. Você também pode contribuir com a comunidade, enviando suas criações para ajudar outros usuários.

Preparando-se para iniciar a impressão

Depois de escolher o que você quer criar, é preciso enviá-lo para a impressora, mas, antes disso você deve gerar um arquivo com todas as informações do item para que a Replicator 2X saiba exatamente o que fazer.

Para gerar os objetos para a impressão, MakerBot disponibiliza o MakerWare, um software com uma interface incrivelmente simples que permite que você mova, redimensione e mude algumas características do modelo. O que ele faz é “fatiar” o item em milhares de camadas em duas dimensões. Desse modo, a impressora pode saber exatamente como criar cada uma das camadas.

Para iniciar o trabalho, você pode conectar a Replicator 2X ao computador através de um cabo USB ou transferir os arquivos por um cartão SD.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Além do MakerWare, a MakerBot também recomenda o ReplicatorG. Esse aplicativo de código aberto é um pouco menos amigável para os usuários comuns, mas oferece um controle um pouco mais avançado sobre a impressora e os objetos a serem impressos.

Importante: nenhum desses softwares permite a criação e a modelagem dos itens, eles servem apenas para o gerenciamento das informações pré-impressão.

A qualidade da impressão, ou resolução, é calculada pela espessura das camadas que compõem a imagem; e a Replicator 2X possui três configurações:

  • Alta definição: camadas com 100 mícrons de espessura;
  • Média definição: camadas com 270 mícrons de espessura;
  • Baixa definição: camadas com 340 mícrons de espessura.

É claro que o tempo de impressão é diretamente proporcional à qualidade de resolução. Quanto maiores os detalhes, mais demorado será o processo.

Como funciona a Replicator 2X

O funcionamento da Replicator 2X é similar ao de outras impressoras 3D que trabalham com o depósito de material para criar os objetos. Você insere o filamento plástico na extrusora e programa a máquina para imprimir o que você quiser.

Assim que você ordena o início do processo, o equipamento faz uma calibragem inicial para verificar se tudo está completamente ajustado. Em seguida, a plataforma central desce até a parte mais baixa e inicia o processo de aquecimento. Em seguida, a máquina começa a aquecer as extrusoras, uma de cada vez até que ambas entejam prontas para iniciar o processo de impressão.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Antes de começar a criar o objeto definitivo, a impressora executa um teste rápido, expelindo um pouco de plástico para ver se o bico da extrusora não está entupido. Se tudo estiver funcionando bem, o processo inicia.

Como já citamos anteriormente, o fato de o modelo trazer duas extrusoras não significa exatamente que a impressão será realizada mais depressa.

Vale a pena?

Assim como qualquer outra impressora 3D, o potencial da Replicator 2X é muito grande. Se você gosta de criar, terá ao seu dispor uma ferramenta completa e capaz de dar forma à sua imaginação. O potencial comercial desse tipo de equipamento também é muito grande, especialmente se levarmos em conta a criação de objetos por encomenda.

A Replicator 2X é extremamente bem construída. Ela é eficiente, relativamente silenciosa e possui um design de muito bom gosto.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A taxa de manutenção do equipamento, se você utilizá-lo sempre conforme as especificações do fabricante, tende a ser baixa. É provável que você precise substituir algum componente por desgaste antes de algum mecanismo dela apresentar defeito.

Nesse ponto, a MakerBot oferecem um suporte muito bom, com a venda de peças sobressalentes e uma documentação incrivelmente completa, suficiente para acabar com qualquer dúvida.

As principais diferenças entre a Replicator 2 e a Replicator 2X— a extrusora extra e a plataforma aquecida — são importantes para garantir um trabalho com mais qualidade e oferecem vantagens, como a possibilidade de criar objetos com duas cores ou suportes removíveis. Entretanto, esses diferenciais não representam uma diferença muito significativa no resultado final do trabalho ao comparar os dois modelos.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A MakerBot Replicator 2X pode ser adquirida no Brasil pela TekTrade por R$ 12.089. Em contrapartida, a Replicator 2 sai um pouco mais barato: R$ 9.953. Cabe a você decidir qual dos modelos satisfaz melhor as suas necessidades. É claro que, se for possível escolher, prefira a Replicator 2X.

A MakerBot Replicator 2X que testamos foi gentilmente cedida pela TekTrade International.

Cupons de desconto TecMundo: