Na hora de jogar, é comum levar em consideração aspectos como a plataforma utilizada, o tamanho da tela da TV ou monitor e, no caso de PC, a placa de vídeo e outros componentes de hardware. Em meio a essas escolhas, um aspecto muito importante da experiência acaba sendo ignorado por uma boa parcela dos jogadores: o áudio.

Embora caixinhas de som baratas e as saídas de som de sua televisão consigam reproduzir o áudio de seus jogos de maneira aceitável, um headset de qualidade pode transformar totalmente sua experiência. Em um game de terror, por exemplo, um fone de ouvido de qualidade pode determinar se você vai se assustar com um barulho ou se vai encará-lo como um elemento que pode ser ignorado.

Neste artigo, destacamos os elementos que deve levar em consideração antes de escolher um acessório capaz de realçar as qualidades de seus jogos favoritos. Ao final de nossa explicação, também mostramos uma pequena seleção com alguns dos melhores produtos da categoria disponíveis atualmente no mercado.

A função do som dentro de um jogo

Os sons reproduzidos dentro de games geralmente se encaixam em uma das seguintes categorias: cosméticos ou funcionais. Na primeira, podemos incluir elementos como a trilha sonora e diversos efeitos cujo principal objetivo é contribuir para a ambientação e enfatizar momentos dramáticos — não muito diferente do que acontece em um filme de Hollywood.

Sons funcionais incluem indicadores que apresentam alguma função mecânica e certos efeitos ambientes. Essa categoria inclui ruídos que indicam a proximidade de um objeto importante ou de algum inimigo, elementos que ajudam você a se preparar para batalhas ou evitar emboscadas.

Essa segunda categoria se mostra bastante importante para o cenário competitivo: em um FPS, por exemplo, conseguir ouvir os passos de seus adversários ou o barulho de tiros distantes pode ajudá-lo a se preparar para um contra-ataque. Já num RTS, efeitos sonoros podem indicar quando sua base está em perigo ou quando uma tarefa foi finalizada.

Embora o headset que você utiliza sempre se trate de uma escolha pessoal, um bom aparelho da categoria deve ser capaz de trabalhar bem com essas duas áreas distintas do áudio. Caso contrário, a experiência obtida com seus jogos favoritos pode não ser exatamente aquela que os desenvolvedores tentaram transmitir.

Qual plataforma vou usar?

O primeiro aspecto que você deve levar em consideração na hora de escolher um headset é a plataforma usada para jogar. Embora grande parte dos fones de ouvido disponíveis no mercado funcione perfeitamente bem em qualquer meio, existem modelos cujas melhores funções ficam restritas a uma plataforma específica.

Nesse quesito, o PC acaba sendo o principal beneficiado visto a tradição do meio de apostar em acessórios de alto desempenho. No entanto, periféricos específicos a uma plataforma nem sempre apresentam funções completas quando unidas a um computador — a linha de headsets da Sony para o PlayStation 3 e o PlayStation 4 é um bom exemplo.

Também há de se levar em consideração o fato de que certas marcas apresentam preferências claras por determinadas plataformas. Os dispositivos da Razer são pensados levando em consideração o PC e a linha Xbox e, embora possam ser adaptados a plataformas da Sony e da Nintendo, muitas vezes isso significa ter que deixar características como a comunicação por áudio de lado.

Tipo de conector

Os headsets para games disponíveis no mercado costumam adotar um dos seguintes padrões de conexão: P2 (3,5 mm) ou USB. O primeiro se mostra mais versátil ao permitir que você use o produto junto a computadores, monitores de TV, consoles de mesa e reprodutores portáteis, entre outros aparelhos.

Em compensação, as entradas USB se mostram melhores quando unidas a um computador. No Windows, por exemplo, você pode usar o painel de configurações do sistema para fazer com que o áudio seja transmitido para o acessório, enquanto as funções de microfone ficam sob responsabilidade de um produto especializado — divisão que nem sempre é permitida por aparelhos que usam conexões P2.

Conforto

Caso você planeje ficar várias horas em frente à televisão ou ao monitor, é preciso apostar em acessórios que proporcionem conforto. Afinal, de nada vale possuir um fone de ouvido poderoso com um sistema surround 7.1 envolvente se, após meia hora de uso, você tem vontade de arrancá-lo da cabeça porque ele faz suas orelhas doerem.

Infelizmente, ainda são poucas as lojas brasileiros que oferecem a possibilidade de testar uma grande diversidade de modelos de fone de ouvido. Dessa forma, atualmente a melhor solução nesse sentido é testar o headset que algum amigo possui ou conferir análises online que tratem desse quesito — vídeos no YouTube são especialmente úteis nesse sentido, pois permitem ter uma ideia mais exata da maneira como um acessório se encaixa à cabeça do usuário.

Antes de escolher um fone de ouvido, é preciso levar em consideração as características que você espera dele. Atualmente, é possível encontrar desde modelos leves, cujas almofadas costumam ficar sobre as orelhas (o que tende a gerar certo aquecimento), até produtos mais confortáveis e grandes cujas saídas de som possuem um tamanho considerável e envolvem totalmente os ouvidos.

Microfone

Enquanto a intensidade do áudio reproduzido por um fone de ouvido varia conforme a situação, o mesmo não acontece com nossas conversas por voz. Por isso, ao escolher um headset é bom ter em mente a qualidade do microfone que o acompanha: um produto que deixa de lado essa característica pode tornar você incapaz de se comunicar com sua equipe.

Infelizmente, é comum que esse aspecto apareça de forma secundária em muitos produtos populares do mercado, impossibilitando que você os utilize como uma forma de se comunicar pelo Skype, por exemplo. Embora não se deva exigir uma qualidade de áudio de estúdio de um acessório da categoria, tente evitar modelos que não isolam bem ruídos do ambiente ou que deixam sua voz com características apagadas ou “robóticas”.

Empresas como a Turtle Beach investem em tecnologias proprietárias como a “Chat Boost” — que nivela o nível de seu microfone com a intensidade dos sons reproduzidos por seus jogos — como forma de se diferenciar no mercado. Também é possível encontrar nas lojas uma série de modelos que permitem ajustar a distância da entrada de som em relação à boca, o que facilita a captação de sua voz.

Design aberto ou fechado?

Caso você procure um headset que mantenha sua cabeça resfriada, mas que permita a entrada de sons ambientes, pode ser uma boa ideia apostar em produtos com design aberto. No entanto, quem não quer ser perturbado por elementos exteriores — ou não pretende incomodar quem está ao redor —, a melhor opção é um acessório fechado.

Uma das vantagens proporcionadas pela segunda categoria é que ela tende a destacar uma quantidade maior de detalhes enquanto você está jogando. Como contrapartida, dispositivos desse tipo tendem a se voltar para o público competitivo, o que resulta em uma faixa de preço geralmente maior.

Com ou sem fio?

Até poucos anos, jogadores profissionais jamais cogitariam usar qualquer espécie de acessório sem fio. Problemas relacionados à perda de conectividade e latência exagerada eram elementos comuns que faziam com que os produtos com fio fossem a única opção realmente viável do mercado.

No entanto, isso não é mais verdade graças à adoção de tecnologias como o WiFi Dual-Band, que impedem que sua rede sem fio caseira influencie no funcionamento de aparelhos do tipo. Com isso, quem deseja poder mover a cabeça de um lado para o outro sem que cabos fiquem no caminho não tem mais que se preocupar em ter uma experiência de áudio inferior.

O único ponto no qual os headsets sem fio apresentam certa desvantagem é o fato de eles dependerem de baterias para funcionar. Geralmente, isso significa que esses produtos têm um peso ligeiramente maior e nem sempre são adaptados a longas horas de jogatina devido à necessidade de realizar recargas periódicas.

Durabilidade

Embora você não vá ficar jogando seu fone de ouvido de um lado para outro (ao menos recomendamos não fazer isso), investir em um acessório com características duradouras é bastante recomendado. A construção de um produto do tipo deve se provar resistente e capaz de suportar o teste do tempo — geralmente, os materiais utilizados também denunciam facilmente a qualidade sonora do produto.

Antes de escolher um modelo, procure por análises que levam em consideração detalhes como a maneira como as saídas de áudio se encaixam à haste central e quais os materiais usados. Modelos menos duradouros costumam ser construídos em plástico barato e usam parafusos de baixa qualidade que costumam ceder facilmente após determinado tempo de uso — o que vai obrigá-lo a recorrer a remendos ou à compra de um fone totalmente novo.

Qualidade de áudio

Um requisito que nunca pode ser deixado de lado é a qualidade de áudio do acessório que você pretende adquirir. No entanto, é preciso prestar atenção ao fato de que um fone de ouvido excelente para ouvir músicas não necessariamente vai se provar uma opção ideal para jogos eletrônicos.

Muito disso se deve ao fato de que a maioria dos games, especialmente aqueles do gênero ação, tende a priorizar tons graves e agudos em sua concepção. Assim, não é nenhuma surpresa que empresas conhecidas desse universo como Razer, Corsair, Kingston, Turtle Beach e Steelseries costumem oferecer produtos que privilegiam esse tipo de frequência.

Um bom fone de ouvido deve ser capaz não somente de reproduzir trilhas sonoras de seus jogos como também deve destacar os efeitos que vão ajudá-lo a se destacar em uma partida. Em um FPS, por exemplo, é importante que seu headset consiga transmitir o posicionamento de seus inimigos a partir do som produzido quando eles se movimentam.

A qualidade de áudio de um fone de ouvido é um aspecto que também depende muito de gostos pessoais. Enquanto alguns jogadores podem preferir modelos com graves pesados, outros podem querer investir em modelos mais equilibrados e que permitam a realização de uma variedade maior de tarefas.

Surround virtual, DTS e outros efeitos

Com o crescimento do mercado de acessórios para games, as lojas foram inundadas por acessórios que prometem recursos como Dolby Digital, Surround Virtual 5.1 ou 7.1 e outras tecnologias. Embora em alguns casos certos recursos não passem de ferramentas de marketing, em geral essas siglas determinam muita da experiência sonora que você vai obter.

Dispositivos com a tecnologia Dolby Digital (ou DTS) usam um sistema que emula o funcionamento de um sistema de som surround a partir de saídas de som estéreo. Apesar de nem sempre o posicionamento espacial oferecido por esses fones prezar pela exatidão, essa solução permite que você tenha uma experiência mais completa sem ter que gastar tanto.

O mesmo acontece em produtos que prometem experiências de áudio 5.1 ou 7.1 virtual, que em geral reproduzem a sensação de um sistema do tipo a partir de softwares. Infelizmente, ainda são raros os produtos que oferecem drivers dedicados a diferentes canais de som, e opções do tipo costumam vir acompanhados por cifras proibitivas.

Vale notar que, embora sejam desejados, esses efeitos não são exatamente necessários para que um headset possa ser considerado de qualidade. Os principais beneficiados por tecnologias do tipo são jogadores que apostam em games cujo posicionamento é um elemento-chave — como no FPS —, enquanto quem prefere RPGs, MMOs ou títulos de esporte pode usar saídas de som convencionais sem grandes perdas.

Em anos recentes, muitas fabricantes estão apostando em softwares proprietários que prometem “transformar” a assinatura sonora de um fone de ouvido. Geralmente isso se dá na forma de ferramentas de mixagem com perfis pré-definidos ou em sistemas que emulam sistemas Surround. Os resultados proporcionados variam em qualidade e usar ou não uma ferramenta do tipo é algo que cabe a você decidir se vale a pena.

Faixa de preço

Como acontece com a maioria dos produtos eletrônicos, o preço cobrado por um fone de ouvido não está necessariamente ligado a sua qualidade. Embora grande parte das melhores opções do mercado esteja associada a um valor um tanto alto, é possível gastar relativamente pouco para ter um headset de qualidade.

Nessa hora, o nome que acompanha um dispositivo acaba se refletindo no quanto você vai pagar por ele. Empresas consagradas como Sennheiser, Razer, MadCatz, Corsair, Turtle Beach e Steelseries viraram sinônimo de produtos caros no Brasil,  mesmo que elas também apostem em modelos mais acessíveis para tentar conquistar uma fatia mais ampla do público consumidor.

Mesmo sem o mesmo prestígio dessas marcas, empresas como a PC Yes!, Genius e Superlux também merecem sua atenção, especialmente se você está com o orçamento mais apertado. Uma empresa que tem surpreendido nesse sentido é a Kingston que, embora normalmente associada à fabricação de memórias RAM, também dispõe de uma linha de headsets com uma boa relação entre custo e benefício.

Algumas sugestões

Agora que você já sabe quais quesitos deve levar em conta antes de escolher um headset para games, confira uma pequena seleção com alguns dos produtos que se destacam nesse mercado. Vale notar que a lista é formada por poucos exemplos, então se o seu fone de preferência ficou de fora, convidamos você a registrar sua opinião em relação a ele em nossa seção de comentários.

Superlux HD681

Encontrado pelo preço médio de R$ 130, o Superlux HD681 é um produto que tem surpreendido a muitos jogadores. Reforçando graves e agudos, o dispositivo é uma boa combinação para games de ação e oferece uma sensação de posicionamento espacial bastante aguçada.

Os pontos nos quais o produto peca são em sua portabiliddade reduzida e no fato de que ele não apresenta qualquer espécie de microfone integrado. Dessa forma, quem gosta de se comunicar em jogos online vai ter apostar em um acessório dedicado à parte para conseguir fazer isso.

HyperX Cloud da Kingston

Conhecida pela fabricação de memórias RAM e outros componentes de hardware, a Kingston deu um tiro certeiro com o HyperX Cloud. O headset que marca a estreia da empresa neste mercado é construído em materiais duráveis e possui um acabamento que se mostra confortável mesmo após longas sessões de jogo.

O produto apresenta um microfone removível de alta qualidade e a capacidade de reproduzir sons de maneira clara, dando um leve destaque a frequências graves. Embora não proporcione a mesma sensação de posicionamento espacial que dispositivos com Surround 5.1 ou 7.1, o acessório compensa isso ao se mostrar adequado tanto para jogatina quanto para escutar músicas e assistir a filmes.

Também ajuda o fato de que o preço cobrado é relativamente baixo em relação a outras opções semelhantes, ficando em torno dos R$ 400. No entanto, basta uma pesquisa mais aprofundada na internet para encontrar lojas que oferecem o produto com descontos bastante atraentes.

Corsair Vengeance 1300

Com preço médio de R$ 300, o Corsair Vengeance 1300 se mostra tão balanceado quanto o HyperX Cloud da Kingston. No entanto, o acessório tem uma qualidade de construção um pouco menos duradoura e não consegue reproduzir tons graves de maneira tão eficiente.

Esses detalhes não impedem que o produto seja uma das opções mais acessíveis e completas disponíveis atualmente nos grandes lojistas brasileiros. Caso você não queira ter que lidar com fios, também é possível encontrar nas lojas o que é considerado como a versão wireless do produto: o Corsair 2100 (cujo custo se mostra um pouco menos acessível).

SteelSeries H Wireless

Caso você esteja disposto a investir um valor considerável em um fone de ouvido, vale a pena considerar o SteelSeries H Wireless. Embora muitos possam argumentar que o preço cobrado tem bastante relação com o nome da fabricante, fato é que o dispositivo apresenta uma boa qualidade de áudio combinada a um acabamento confortável e uma bateria cuja duração não decepciona.

Apresentando um design fechado, o dispositivo usa uma espuma macia em suas saídas de som que se adaptam facilmente ao formato de sua cabeça. O acessório apresenta graves marcantes, médios competentes e agudos claros, o que o torna uma ótima opção para diversos tipos de atividades que vão além de jogar.

Para completar, o SteelSeries H Wireless apresenta um microfone retrátil e um sistema de duas baterias que assegura que você provavelmente nunca vai ficar sem carga. O que pode assustar um pouco é o valor cobrado pelo produto, que é vendido em algumas importadoras pelo preço médio de R$ 700.

Astro Gaming A50

Bastante conhecido entre quem acompanha o mercado de acessórios para games, o Astro Gaming A50 é um produto com bastante qualidade. O produto possui uma qualidade de áudio que se destaca positivamente frente a concorrentes na mesma faixa de preço e uma grande qualidade de construção.

No entanto, o dispositivo possui alguns problemas que são um tanto inaceitáveis para algo que custa o preço médio de R$ 1 mil. Além da vida útil da bateria ser um tanto imprevisível, o cabo de recarga que acompanha o produto pode ser considerado curto demais. No entanto, esses são problemas menores quando levamos em consideração tudo o que é oferecido pelo dispositivo.

Pulse Elite Wireless Headset

Entre os diversos fones com ou sem fio oferecidos pela Sony, o Pulse Elite Wireless Headset é a melhor companhia para seu PlayStation 3 ou PlayStation 4. Acompanhado por um pequeno conector USB, o dispositivo traz controles de volume e de intensidade de microfone ajustáveis, além de um sistema conhecido como Bass Impact que realça graves.

Os consoles de mesa também se beneficiam de um aplicativo de companhia que permite enviar um total de cinco perfis personalizados à memória do headset. O dispositivo também funciona com computadores Windows ou Mac, plataformas nas quais o uso do sistema Bass Impact não está disponível.

O Pulse Elite acompanha um cabo P2 que possibilita conectá-lo a dispositivos compatíveis com o padrão — que também podem ser transformados em dispositivos sem fio. Para isso, basta conectar o adaptador USB que acompanha o produto a uma fonte de energia e conectar uma das pontas do cabo P2 a ele. No Brasil, o dispositivo é encontrado pelo preço médio de R$ 450.

Cupons de desconto TecMundo: