Não há dúvidas de que o comportamento das pessoas muda com a passagem do tempo, e você provavelmente já deve ter ouvido por aí o termo millennials, utilizado para falar da juventude atual. Contemplados pelas delícias e pelos desprazeres dos avanços tecnológicos, da internet e de uma série de novas possibilidades acadêmicas e profissionais, somos a geração que nunca para, que vive checando notificações e que está cada vez mais obcecada em ter um corpo “perfeito” para exibir em fotos com filtros e retoques no Instagram.

Somos a geração que tem grande facilidade de interação interpessoal, que troca nudes com estranhos em aplicativos de paquera. Somos a geração que mal usa a palavra “paquera”. Nossos pais é que usavam essa palavra, e como somos diferentes daqueles que nos colocaram no mundo! Não é à toa que nos divertimos com as aventuras deles no universo que nós dominamos.

A revista Time publicou, recentemente, uma lista de diferenças entre o comportamento financeiro dos jovens de hoje e de seus pais. A seguir, confira uma série de coisas que não farão com que os millennials gastem dinheiro – e, claro, depois nos conte se isso combina com o que você pensa a respeito de investimento financeiro:

1 – TV a cabo

Ainda que muitas pessoas tenham canais de TV por assinatura em casa, a tendência é que o número de assinaturas diminua cada vez mais. Não é nem de espantar, afinal estamos vivendo em um mundo onde existe não apenas a Netflix como a internet – só esses dois fatores já são suficientes para que alguns jovens e adolescentes nem liguem a TV. Pagar para assistir, então? Fora de cogitação!

2 – Cerveja tradicional

Diferente dos nossos pais, que compram ou compravam as cervejas que mais faziam sucesso no mercado, a geração de agora valoriza as versões mais artesanais ou “indies”, como chamou a publicação da Time. Um estudo recente mostrou que os 43% dos millennials preferem cervejas artesanais às tradicionais – em relação aos pais dessas pessoas, os baby boomers, o percentual cai para 32.

3 – Carros

Diferente do que acontecia com seus pais, a geração de agora vem perdendo cada vez mais o interesse em carros. Não apenas o transporte alternativo tem feito a cabeça dessas pessoas como elas estão perdendo o interesse em ter uma carteira de habilitação. “Em 2010, adultos entre 21 e 43 anos compraram apenas 27 por cento de todos os novos veículos vendidos na América, bem abaixo do pico de 38 por cento em 1985”, disse esta publicação do The Atlantic.

4 – Casas

A questão aqui não tem muito a ver com querer, mas com poder. Uma pesquisa realizada em Harvard revelou que houve uma queda de 12% de compra de imóveis entre os jovens com idade abaixo dos 35 anos – isso apenas entre os anos de 2006 e 2010. Além disso, muitas pessoas dessa faixa etária ainda moram na casa dos pais, para economizar dinheiro e não pagar aluguel.

5 – Compras de supermercado

Se você é jovem e mora sozinho por algum motivo, vai concordar que as pessoas da geração atual não fazem compras da forma como seus pais faziam. Os carrinhos não são entupidos com produtos para um mês inteiro, até mesmo porque, além de não terem tanto dinheiro, os millennials às vezes moram em apartamentos minúsculos, sem espaço para armazenar muita coisa.

6 – Casamentos

Subir ao altar já não é o maior sonho da vida de uma pessoa. Se antes o casamento – que geralmente acontecia quando as pessoas eram muito jovens – era visto como o primeiro passo em direção à vida adulta, hoje as prioridades são outras.

Não é que o casamento tenha deixado de ser uma instituição importante, mas hoje ele acontece mais tarde. De acordo com um levantamento realizado pela Pew Research Center, 69% dos millennials têm vontade de se casar – eles só querem estabilidade financeira antes de dizer “sim”.

7 – Filhos

De novo, temos mais uma diferença de prioridades entre a geração dos nossos pais e a nossa e, mais uma vez, o motivo é dinheiro. Um levantamento realizado em 2012 descobriu que 42% dos millennials pensam em ter filhos um dia – há 20 anos, esse índice era de 78%! Se pensarmos nos preços de fraldas, roupinhas de criança, babá e creche, só para citar alguns exemplos, conseguimos entender bem os contras financeiros da procriação.

8 – Produtos com base na análise de pessoas conhecidas

Pessoas mais velhas tendem a acreditar na avaliação de outras pessoas quando vão comprar algum produto – a verdade é que 66% dos baby boomers (a geração dos seus pais) dizem que a recomendação de amigos e familiares influencia suas decisões de compra.

Para os millennials, os critérios são diferentes nesse sentido também. Em vez de pedirem a opinião dos pais ou dos amigos, 51% dos jovens de hoje preferem avaliações de pessoas que eles não conhecem, como as que existem em sites de compras.

Qual é a principal diferença entre a sua vida e a dos seus pais? Comente no Fórum do Mega Curioso

Via Mega Curioso.

Cupons de desconto TecMundo: