Prestes a lançar o Xbox One X, a Microsoft anunciou que vai aumentar o foco de sua divisão de games em softwares e serviços. Segundo Phil Spencer, chefe do Xbox, isso também significa que a empresa vai investir mais na criação de games próprios — o que pode envolver a fundação de novos estúdios e a compra de empresas já estabelecidas.

Phil Spencer

“Precisamos crescer e estou ansioso para isso”, afirmou Spencer em uma entrevista à Bloomberg. “Nossa capacidade de criar conteúdos tem sido uma de nossas forças. Nem sempre investimos no mesmo nível. Tivemos altas e baixas de investimento”, explicou o executivo.

Enquanto games surgidos no Xbox, como HaloGears of War e Forza, continuem fazendo sucesso, em tempos recentes a empresa diminuiu um pouco o foco em seu desenvolvimento interno. Entre as consequências da decisão está o encerramento de estúdios como a Lionhead (da série Fable) e a dinamarquesa Press Play.

Peça central da Microsoft

O investimento renovado reflete não somente uma mudança de posicionamento da divisão Xbox, mas da Microsoft como um todo. Se até alguns anos ela via os video games como algo secundário, sob o comando de Satya Nadella eles ganharam um espaço de destaque, resultando na promoção de Spencer para o círculo interno do CEO.

Xbox One X

O foco maior nos jogos também é fruto da maneira como a empresa mede seu desempenho: se antes o foco eram as vendas, agora isso passou a ser o número de usuários mensais e os lucros de softwares e serviços — independentemente da plataforma em que isso aconteça. Com isso, os serviços e softwares para o Xbox aumentaram em 21% no último trimestre, mesmo com quedas nas vendas de hardwares.

A previsão da companhia é que o lançamento do Xbox One X vá aumentar a venda de hardwares, mas também causar uma ligeira queda em sua margem de lucros. Segundo Spencer, a empresa não pretende parar por aí e já estuda lançar uma espécie de sistema de streaming dentro de 3 anos, algo possibilitado pelos avanços do sistema de armazenamento Azure.

Cupons de desconto TecMundo: