Na época da catástrofe, os continentes ainda formavam a Pangea (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)
Há mais de 250 milhões de anos, nosso planeta passou pelo que hoje é classificado como a maior extinção em massa já ocorrida na superfície terrestre. Resultante de uma combinação catastrófica de mudanças climáticas, chuva ácida e acidificação dos oceanos, a extinção permo-triássica matou, praticamente, 95% das espécies marinhas, e apenas uma a cada dez espécies de plantas e animais sobreviveram.

Com uma extinção desse tamanho, quanto tempo a Terra levou para se restaurar? Segundo os pesquisadores Zhong Chen-Qiang, da Universidade de Geociências da China, e Michael Benton, da Universidade de Bristol, o planeta demorou 10 milhões de anos para se recuperar totalmente dessa catástrofe.

Para chegar a essa conclusão, Chen-Qiang e Benton examinaram partes de rochas pelo mundo para, assim, terem uma ideia da linha do tempo daquele período. Com este estudo, eles afirmam que, após o cataclismo inicial, houve ainda milhões de anos com crises de carbono e oxigênio, aquecimento global, entre outros eventos negativos à vida na Terra.

E como essas crises aconteceram repetidamente ao longo dos anos, mesmo que alguns animais conseguissem se recuperar rapidamente, eles voltavam a ser atingidos pelas ações negativas. Assim, os ecossistemas só se firmaram quase 10 milhões de anos após a extinção permo-triássica.

Fonte: Wired

Cupons de desconto TecMundo: