É ano de Copa do Mundo de futebol, e 32 países dos mais variados cantos do mundo se encontram para disputar o esporte mais popular. Além de ver a bola rolar, conhecemos mais a respeito de uma série de nações.

A seguir, você pode conferir algumas das maiores contribuições tecnológicas, invenções ou atuais trabalhos de cada classificado. E, desde já, vale o aviso: em vários casos, é impossível listar absolutamente todas as conquistas científicas de uma nação, pois a história de cada país é muito significativa para ser resumida em poucas linhas.

Grupo C

Austrália

A ex-colônia britânica da Oceania (mas que disputa uma vaga para a Copa do Mundo pela Ásia) possui vários inventos importantes, mas que você nem imaginava que surgiram lá. Um deles é a caixa-preta dos aviões, que registram horas de áudio da cabine dos pilotos e, por conta do revestimento aprimorado, sobrevivem a acidentes e podem ser recuperadas para fornecer detalhes sobre o que aconteceu. David Warren começou a pesquisar o invento em 1953, após a primeira queda de uma aeronave comercial a jato, a Comet.

Um homem com uma caixa-preta.

O país também é importante para o desenvolvimento de nada menos que a internet sem fio. O engenheiro John O’Sullivan é um dos responsáveis por um sistema de detecção de sinal rápido e preciso patenteado em 1996 que faz parte dos padrões atuais do WiFi.

A furadeira elétrica foi patenteada pela primeira vez por lá também, a partir de uma invenção de Arthur James Arnot e William Blanch Brain.

Uma furadeira antiga.

E você se lembra que o Irã tinha uma forma rudimentar de refrigeração? James Harrison, em 1854, foi o primeiro a bolar um sistema mecânico que criava gelo e poderia ser usado para gelar objetos e alimentos. Ainda sem ser um produto para casas, ele funcionava por compressão de vapor e produzia 3 mil kg de gelo por dia. Mesmo assim, foi esse o método aperfeiçoado para dar vida às geladeiras de hoje em dia.

Uma geladeira antiga.

Quanto ao desempenho, a Austrália ainda depende de nomes mais rodados da equipe, mas vai lutar por uma classificação para as oitavas de final.

Dinamarca

Uma das principais inovações vindas do país escandinavo começou como uma simples brincadeira. O LEGO foi fundado em Billund, interior do país, por Ole Kirk Christiansen e inicialmente fabricava peças de madeira. Foi ao inventar os blocos montáveis e coloridos que a pequena fábrica se tornou a maior do setor de brinquedos em rendimentos.

Uma caixa de LEGO.

E não foi só nessa indústria: LEGO é muito usado em educação e programação, e o funcionamento das peças inspirou a construção de robôs e máquinas em geral.

Foi no país também que nasceu o primeiro gravador magnético de fio. Em 1898, Valdemar Poulsen bolou o Telegraphone, uma forma pioneira de gravação de sons em fios de metal usando sinais elétricos. Essa tecnologia foi substituída com o passar do tempo pelas fitas magnéticas.

Um gravador de fio.

No futebol, a Dinamarca não é mais a “Dinamáquina”, mas tem uma equipe com nomes bem interessantes e vai lutar para se classificar em segundo lugar do grupo.

França

Aqui tem bastante coisa! Para começar, a invenção da fotografia pode ser creditada ao todo a um trio de pesquisadores franceses. A gravação de imagens pela exposição da luz em um substrato, como sais de banho em uma lâmina metálica, é de autoria de Nicephore Niepce. Já Louis Daguerre inventou o daguerreótipo, um processo fotográfico mais avançado. E foi Hercules Florence — nascido na França, mas morando na época aqui no Brasil — que cunhou o termo “photographie” e bolou um método que usa negativos similares aos atuais nos meios analógicos.

Uma paisagem.Uma captura feita com um daguerreótipo

Além disso, os irmãos Auguste e Luis Lumière foram os primeiros a usar um cinematógrafo para exibir publicamente imagens em movimento — o bom e velho percursor do cinema.

Duas pessoas.

O primeiro automóvel terrestre de autopropulsão é de Nicolas Joseph-Cugnot, que apresentou o invento em 1769. O modelo tinha três rodas e fazia 7,8 km/h, mas era instável por má distribuição dos pesos. E a França não inventou a motocicleta, mas um dos primeiros modelos de uma bicicleta de metal, com pedais e motorizada, é de lá. A criação é de Pierre Michaux, que fez o veículo, e Louis-Guillaume Perreaux, dono do motor a vapor utilizado.

Uma bicicleta.

E o paraquedas é uma ideia bem antiga, mas o primeiro modelo moderno (do século XVIII) é de Louis-Sébastien Lenormand, que chegou a pular da torre de um observatório para demonstrar com sucesso o invento no primeiro teste público de um paraquedas.

Uma ilustração.

A França é a favorita absoluta para passar em primeiro lugar do grupo e também considerada uma das melhores equipes de todo o torneio.

Peru

Muito se fala sobre as civilizações antigas que habitavam o território que hoje pertence ao Peru, como os incas. Mas o país já em sua formação atual também contribuiu em um segmento que pouca gente imagina: ciência aeroespacial.

Uma ilustração.Uma justa homenagem a Pedro Paulet

O engenheiro Pedro Paulet foi um dos primeiros cientistas a construir um motor de foguete de combustível líquido, em 1895, e o primeiro sistema de propulsão de foguetes, em 1900. Seus trabalhos inspiraram inclusive a NASA, e o governo da Alemanha nazista tentou (sem sucesso) ter acesso à fórmula das invenções. Infelizmente, Paulet nunca conseguiu o financiamento necessário para levar todos os seus trabalhos adiante.

Já Claudio Lévano foi o responsável por inventar uma espécie de incubadora moderna para recém-nascidos chamada de bolha artificial neonatal, patenteada e usada em vários países.

Um médico.

O Peru é uma das surpresas da Copa, mas tem uma equipe bem coesa e pretende surpreender usando essa falta de favoritismo.

Grupo D

Argentina

Quirino Cristiani foi o responsável pelo primeiro longa-metragem animado do mundo, em 1917. Ele era uma paródia ao presidente da época, Hipólito Yrigoyen, e se chamava "El Apóstol". Walt Disney tentou contratá-lo, mas ele se recusou a deixar a terra natal.

Uma animação.

O médico Domingo Santo Liotta foi o responsável pelo primeiro coração totalmente artificial, apresentado em 1969. Ele ficou durante três dias no corpo de um paciente que aguardava por um transplante. 

E existem mais avanços médicos: Luis Agote apresentou em 1914 uma tecnologia que permitia que o sangue fosse armazenado sem coagular, possibilitando não só a criação de bancos de sangue, mas também que transfusões não precisassem ser feitas direto de uma pessoa para outra.

Um coração artificial.

Um dos primeiros métodos de identificação de impressões digital nasceu na cidade portuária de Necochea, sudoeste de Buenos Aires. Juan Vucetich ajudou em uma investigação em 1892 com o que ele chamou de "datiloscopia comparativa" — nada menos que a comparação da biometria de um suspeito (posteriormente condenado) a uma marca de digital deixada na cena do crime.

Um cientista.

Especialmente por conta de craques como Messi e por manter vários jogadores do vice em 2014, a Argentina é candidata ao título mais uma vez.

Croácia

David Schwarz é tido como o inventor de um veículo de transporte aéreo bem peculiar: uma espécie de balão de gás de grandes proporções totalmente coberto por metal. Esse é o princípio do zeppelin, e aí a história fica confusa: algumas fontes indicam que o conde Ferninando von Zeppelin comprou as patentes de Schwarz em 1898, mas outras dizem que eles possuíam apenas o mesmo fornecedor de alumínio.

Um dirigível.

O primeiro velocímetro elétrico para ser usado em automóveis também é de origem croata. Josip Belušic registrou a novidade em 1888 já com o propósito original de medir e disponibilizar a velocidade e até a distância percorrida. O modelo padronizado baseado no invento do engenheiro só foi adotado em 1910 — mas dura até hoje.

Um desenho.

Slavoljub Eduard Penkala nasceu no território onde hoje é a Eslováquia, mas se mudou cedo para Zagreb. Em 1906, ele inventou um "lápis mecânico" que foi uma das bases para o avanço do que hoje conhecemos como a lapiseira, e no ano seguinte desenvolveu uma caneta-tinteiro cuja patente serviu de parâmetro para o design de modelos modernos. Ele também foi notável na aeronáutica local.

Uma lapiseira.

Na Copa do Mundo, a Croácia tem uma seleção recheada de craques, especialmente no meio de campo, e é uma das favoritas para passar no mínimo para as oitavas de final.

Islândia

A Islândia é o menor país já classificado para uma Copa do Mundo e tem uma população de apenas 300 mil pessoas. Ela não se destaca por inventos antigos, mas sim por um aspecto da natureza e um gerenciamento atual de recursos.

Para começar, o país europeu é exemplo em uso de energia sustentável. O modelo adotado usa energia geotérmica para o aquecimento das residências, e a eletricidade gerada é quase toda de fontes renováveis. E isso não foi sempre assim, o que prova que mudanças são possíveis: na década de 1970, ela era uma nação dependente dos combustíveis fósseis.

Uma paisagem.A energia geotérmica é bastante usada na Islândia

Além disso, ela é caso a ser estudado quando o assunto é a democratização da internet e o acesso à conexão por parte da população. A capital Reykjavík tem 100% das casas conectadas e, em 2016, já havia 75% das casas de todo o país com acesso direto a planos de 1 Gbit/s via fibra. O país proíbe a censura de conteúdos e tem dois provedores nacionais.

Uma pedra transparente.

A região ainda tem uma contribuição tecnológica “sem querer”. É o espato-da-Islândia, uma variedade transparente do carbonato de cálcio (CaCO3) que produz um fenômeno conhecido como dupla refração. Ele é bastante usado no estudo da óptica.  

Nigéria

A Nigéria transforma as dificuldades econômicas e sociais do país em inovação. Uma das novidades mais recentes vindas do país africano é o CompactOR, também chamado de “hospital in a box” — que, como o nome já indica, nada mais é do que uma unidade médica móvel.

Um médico.O "hospital in a box" (à esquerda)

A invenção é uma maleta com um laptop embutido e que traz junto vários equipamentos médicos, como um desfibrilador, um eletrocardiógrafo, um aparelho de sucção, uma máquina de anestesia e até iluminação para pequenos procedimentos cirúrgicos  tudo isso carregado por energia solar. A ideia é levar o conjunto para pequenas consultas em regiões sem cuidados médicos.

O país também tem um representante bem-sucedido no automobilismo. Bisi Ezerioha é o piloto e engenheiro fundador da Bisimoto, uma respeitada empresa no setor. Em 2015, ele construiu o Bisimoto Hyundai Sonata, considerado por um tempo como o carro mais rápido do mundo. Os motores da fabricante são bastante reconhecidos e costumam quebrar recordes em aspectos técnicos.

Um carro.O Honda Odyssey com contribuição da Bisimoto

Na Copa do Mundo, o renovado time da Nigéria vai brigar pela segunda colocação e tentar ser a primeira seleção do continente africano em uma semifinal.

Cupons de desconto TecMundo: