"Tiago Tiroteio" e sua suposta postagem. (Fonte da imagem: Reprodução/AnonymousBrasil)

Dados pessoais de um policial militar foram divulgados web adentro nesta quinta-feira (10) pela página do grupo Anonymous Brasil. “Tiago Tiroteio”, nome do perfil do PM no Facebook, tem sido repudiado atualmente por ter supostamente publicado uma foto sob a legenda “Foi mal, fessor”. Na imagem, o homem aparece com um cassetete quebrado – o que sugere a participação do policial no controle das manifestações do último dia 1º.

Há nove dias, professores e demais pessoas tocadas pela causa saíram às ruas do Rio de Janeiro para protestar contra o projeto de lei do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR) – aprovado pela Câmara de Vereadores carioca mesmo sob todo o rebuliço social notado. Neste evento, professores teriam sido agredidos por policiais – “Tiago Tiroteio” é, em tese, um dos PMs envolvidos na confusão.

“Para toda ação, existe uma reação igual ou contrária, portanto ‘Foi mal coxinha’’, seus dados foram expostos” (sic), pode-se ler na página inicial dos hackers brasileiros. Dentre as informações divulgadas, foram expostos números de CPF, telefone, idade, faixa salarial e também o nome completo do suspeito.

O outro lado

Em declaração à reportagem do portal G1, o tenente-coronel e relações públicas da PM, Claudio Costa, disse estar ciente da tal foto. A página de “Tiago Tiroteio” já foi retirada do ar e, ainda conforme dito pela Polícia Militar, uma investigação deverá ser acompanhada pela 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM).

O advogado Genison Souza, bacharel contratado pela família do policial, afirmou que a postagem não foi feita por seu cliente. “Existem evidências de que naqueles horários ele estava fora do acesso aos computadores. Estava aquartelado”, disse Souza. Durante o depoimento de “Tiago Tiroteio”, feito na última sexta-feira (04), um parente do PM informou que a foto postada é antiga.

Cupons de desconto TecMundo: