Os games são importantes para nós, fomentam a indústria de entretenimento, trazem experiências inesquecíveis. Mas, assim como tudo na vida, exageros são ruins. Se isso é um exagero ou não, só o tempo dirá. Eis que um pai-coruja resolveu testar um experimento com o filho: fazer o garoto atravessar toda a trajetória dos games em ordem cronológica, passando pelos jogos mais importantes da história. A ideia é fascinante, sim, e ao mesmo tempo sinistra. A história foi contada no site Medium.

O primeiro jogo que Andy Baio deu ao seu filho, Eliot, foi Galaxian, de 1979, para arcade. O garoto nasceu em 2004, portanto, tem hoje apenas 10 anos. Ao longo dessa década, ele jogou muita coisa. O objetivo é “permitir que o garoto explore a história [dos jogos] e veja como ela se transformou ao longo das décadas” dando ao jogador uma apreciação de coisas antigas e importantes.

E quando ele começou a jogar?

Com quatro anos. Ao ter atingido essa idade, Eliot ganhou seus primeiros jogos: o mencionado Galaxian (1979), Rally-X (1980), Bosconian (1981), Dig Dug (1982), Pac-Man (1980), Super Pac-Man (1982), Pac-Man Plus (1982), Pac-Man Plus (1982) e Pac & Pal (1983).

O próximo console, respeitando a ordem cronológica, foi o Atari 2600. Depois veio o Nintendinho, o Super NES e por aí vai. Conforme mencionado, nem todos os consoles precisam passar pelas mãos do garoto, na visão do pai. Apenas os que representam “mais importância”.

O mais impressionante? O moleque debulha

Sabemos que os jogos de outrora são muito mais difíceis do que os atuais. Nada de setas na tela apontando o objetivo, nada de energias que se autorrecuperam, nada de ajuste de dificuldade. Segundo Andy, que até postou alguns dos progressos de Eliot no Twitter, o moleque debulha.

O garoto teria terminado o primeiro The Legend of Zelda sozinho! A única ajuda do pai foi na nona dungeon do game.

Eliot teria pego as 120 estrelas de Super Mario 64 por conta própria e com apenas seis anos de idade. Os primeiros Mega Man também foram "fichinhas" para o garoto. Lidem com isso.

O ponto de término e os resultados

De acordo com o pai, o experimento terminou perto do aniversário de 10 anos de Eliot, e o "pit-stop" do garoto teria sido no período de games como Katamari Damacy, Shadow of the Colossus, Metal Gear Solid 3: Snake Eater e outros da época.

O resultado? Três grandes objetivos teriam sido atingidos, de acordo com o pai:

  • Eliot consegue apreciar um jogo sem se apegar a fatores tão estéticos, uma vez que foi exposto a toda a nostalgia do passado;
  • O rapaz não se liga em notas ou avaliações de jogos, tendo a habilidade de curtir um game à sua maneira, com foco em gameplay;
  • O experimento transformou o rapaz num jogador assustadoramente habilidoso em tudo o que joga.

“A exposição de Eliot bem cedo a jogos com gráficos limitados inibiram a exigência por gráficos ultrarrealistas encontrados atualmente nos games AAA. Ele pode apreciar um visual retrô à sua maneira e focar em gameplay. Minha esperança é que esse experimento tenha instigado um gosto por jogos menores e que sejam mais íntimos à experiência dele”, opinou o pai.

Cupons de desconto TecMundo: