Ingress, o bem conceituado jogo de realidade alternativa da Google, desbravou nesta semana outro profícuo horizonte junto à sua comunidade gamer. Lançada nesta quinta-feira (25), a atualização a jogadores do sistema Android agora permite a criação de desafios em campo aberto – o patch para iOS deverá ser liberado em breve pela desenvolvedora. “O mundo é o tabuleiro do jogo. Você tem de ir para fora de casa para jogar”, diz John Hanke, do Niantic, laboratório responsável pela proposta.

A trama de Ingress consiste em fazer dos usuários dos sistemas Android e iOS verdadeiros guerreiros: após a descoberta de fontes misteriosas de energia espalhadas por todo o mundo, cidadãos globo afora decidem fazer parte de uma ou outra facção (“Resistance” ou “Enlightenment”). Cada ponto de emissão de energia pertence a um grupo determinado; conquistar mais fontes é, assim, ação crucial à finalização do objetivo imposto pelo game.

A novidade, então, está no fato de que as facções poderão desenvolver, por exemplo, "missões de escavação"; fazer a ligação entre duas fontes ou mais e oferecer aos jogadores a possibilidade de se caminhar por demais edificações dos centros urbanos é também aspecto presente na versão atualizada de Ingress. “[A criação de] missões faz com que o gameplay fique estruturado”, comenta ainda Hanke.

“Usuários podem gerar missões e ir até elas em qualquer parte do mundo. Enxergamos isso como uma ferramenta que possibilita a exploração global. É algo como uma pequena parte de Minecraft sob os domínios de Ingress”, explica o executivo. Atualmente, Ingress conta com mais de 7 milhões de jogadores ativos – o lançamento desta atualização deverá fazer com que a comunidade jogadora do título ganhe ainda mais usuários.

Criação de missões

Para que os desafios por cerca de 200 países mundo afora possam ser devidamente cumpridos, um sistema de votação fica encarregado por classificar as missões. É possível engatar jogatina junto a fontes de energia localizadas na região em que players de Ingress moram. “É uma missão como nos clássicos games role-playing. Você sai à procura de uma série de tarefas”, complemente Hanke.

O recurso lançado nesta semana pela Google não pode ser confundido com os portais criados pelas facções – pontos podem ser visitados, por exemplo, por meio do modo Field Trip Cards, mecanismo que leva em conta a descrição e marcação feita pelos próprios jogadores sobre regiões determinadas geralmente localizadas em bares e restaurantes.

A partir da seleção de uma fonte já existente, usuários podem determinar se o cumprimento de caçadas será feito de forma linear ou não. “[O jogo] tem sido um tipo de captura de bandeira entre ‘verdes e azuis” – mas ele pode ser um pouco confuso se as pessoas começarem a migrar para este game” observa o chefe da desenvolvedora.

Explore o mundo

Nem todos os participantes desta jogatina global podem criar missões neste momento: o time da Google ficou responsável por analisar a performance de jogadores e selecionar, desta forma, usuários que têm condições de desenvolver objetivos a uma ou outra facção. Daqui a um mês ou dois, segundo prevê Hanke, todos que conhecerem os critérios de seleção terão condições de criar tarefas.

John Hanke, executivo da Niantic responsável por Ingress.

“A coisa mais legal de Ingress é este fenômeno social ‘de mundo real’. Acredito que o melhor uso das missões será feito por aqueles que ajudam demais pessoas a conhecer novas coisas”, finaliza Hanke. A atualização para Android já está disponível; os novos recursos para o sistema iOS deverão ser lançados dentro dos próximos dias. Você pertence a alguma facção?

Cupons de desconto TecMundo: