Quem tem acompanhado o mercado de games no Brasil nos últimos anos percebe como ele cresceu. E isso não é só por parte dos jogadores, mas também das próprias empresas, que estão localizando seus títulos para nossa língua e dando suporte no país.

Mas o melhor é que todo esse suporte e incentivo tende a aumentar ainda mais; isso, é claro, quando as companhias começarem a ver os números para perceberem como o público brasileiro ama games. O grande problema é: até o momento, não há nenhum bom órgão, instituto ou serviço que traga esses números de maneira precisa, atualmente.

Como comentado pelo site Kotaku, a Valve, é uma das poucas a trazer números precisos quanto a isso. E já aqui podemos ter uma boa ideia do crescimento: só em 2013, fomos o segundo país que mais cresceu em vendas na loja, atingindo 75% a mais que em 2012.

Alcançando as compras digitais

Por outro lado, institutos dedicados a medir a venda de jogos no Brasil, como o GFK, estão limitados apenas aos títulos físicos. E considerando que as compras atualmente são, em uma maioria esmagadora, títulos digitais, temos uma grande imprecisão nesse aspecto.

Mesmo assim, os dados trazidos são animadores. No caso do famoso serviço brasileiro Nuuvem, por exemplo, já foram adquiridos mais de 470 mil jogos em seus dois anos de existência, além de um crescimento de mais de 103% só em 2013 – e é um ritmo que deve se manter. Enquanto isso, o recém-lançado Splitplay indica que atualmente 21% das pessoas a se cadastrarem na loja a cada hora compram um game. Sem dúvida são dados impressionantes, mas definitivamente faltam números mais precisos para atrair ainda mais as empresas.

Cupons de desconto TecMundo: