(Fonte da imagem: Reprodução/Konami)

Com a aproximação da nova geração de consoles da Sony e da Microsoft, retomam-se as discussões sobre se eles terão a mesma ou até maior qualidade gráfica do que um PC. Em entrevista para a revista PC PowerPlay, Tony Tamasi, vice-presidente de conteúdo e tecnologia da NVIDIA, garante que não.

Quando o dinheiro fala mais alto

Para o executivo, existem dois pontos básicos que limitam o processamento gráfico dos video games em relação aos computadores. O primeiro deles é o poder de investimento. Por ser uma empresa especializada no desenvolvimento de hardware (em especial GPUs), a NVIDIA consegue empregar uma quantia de dinheiro muito maior para o aprimoramento dos seus produtos.

De acordo com Tamasi, a NVIDIA gasta US$ 1,5 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento em gráficos, o que representaria cerca de US$ 10 bilhões ao longo do ciclo de vida médio de um video game. Assim, é financeiramente inviável para empresas como a Sony e a Microsoft acompanhar o progresso das placas de vídeo usadas nos PCs. Para se equipararem, essas companhias teriam que lançar um novo console quase todo ano e vender milhões de unidades.

Leis da física

O segundo fator que influência essa diferença no processamento gráfico é a natural limitação física. Chegamos a um ponto que, para ter um equipamento ainda mais rápido, todo o seu design precisa ser planejado para isso, combinando eficiência de arquitetura com maior fornecimento de energia.

(Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

Um componente de hardware que processa dados gráficos em maior volume necessariamente precisa estar mais “alimentado”. A consequência disso é o aumento da temperatura do dispositivo, exigindo mecanismos de resfriamento mais eficientes — e inevitavelmente maiores.

E é exatamente por essa limitação de tamanho que um console não suportaria empregar a GPU mais poderosa da NVIDIA ou da AMD. Se colocada uma placa de vídeo de altíssimo desempenho, o sistema de ventilação dos video games não aguentaria arrefecer os seus componentes — e o resultado você já sabe.

Confirmação técnica

Para consolidar tudo o que disse, Tony Tamasi disponibilizou um gráfico no qual é mostrado o comparativo de aumento de desempenho entre os consoles da Sony e as GPUs da NVIDIA ao longo dos anos.

(Fonte da imagem: Reprodução/PC PowerPlay)

Com base nesse levantamento, podemos ver que até 2008 a capacidade de ambos na realização de cálculos era muito parecida. Daí em diante, o salto de performance das placas de vídeos comercializadas “individualmente” é notório.

O gráfico elucida em seu final uma grande diferença de desempenho entre o PlayStation 4 e a GTX Titan. Enquanto o video game fica perto dos 2.000 GFLOP/s, a GPU top de linha da marca chega a quase 5.000 GFLOP/s.

Via BJ.

Cupons de desconto TecMundo: