Embora o mundo dos games seja dominado por títulos que fazem você se sentir extremamente poderoso, há experiências que conseguem chamar a atenção por fazer justamente o contrário. Exemplo disso é o gênero terror, que, mesmo tendo sua influência diminuída nos últimos anos, ainda sobrevive através de jogos que brincam com a imaginação e as angústias dos jogadores.

Neste artigo, reunimos alguns exemplos de títulos que é melhor jogar com as luzes acessas para não ter pesadelos durante a noite. A intenção não era meramente reunir jogos que passam sustos passageiros, mas sim mostrar aqueles em que a sensação de que algo pode dar errado permeia cada passo da aventura. Assim, não espere encontrar aqui nenhum exemplar recente de séries consagradas como Resident Evil e Silent Hill, já que elas há muito tempo deixaram de lado a criação de atmosferas sombrias para favorecer a ação.

Confira abaixo nossa lista e, após a leitura, deixe sua contribuição sobre o assunto em nossa seção de comentários.

Amnesia: The Dark Descent

Em Amnesia: The Dark Descent, você assume o papel de Daniel, um homem que acorda dentro de um castelo estranho sem se lembrar de como chegou até ali. Através das notas espalhadas pelo local, você descobre a história de um indivíduo maligno que se esconde nas catacumbas da construção, cujos planos devem ser parados caso você pretenda sair dali vivo.

No game, não há qualquer espécie de arma para se defender dos monstros que habitam o misterioso castelo, e sua única chance de sobreviver é conseguir se esconder em algum local seguro. Para tornar tudo mais tenso, portas devem ser abertas e fechadas de forma totalmente manual, algo que se torna muito difícil quando uma criatura está perto de destruir seu personagem.

O game também conta com um medidor de sanidade, que vai diminuindo conforme Daniel anda pelo escuro — algo que se mostra necessário para progredir, devido à escassez de itens que geram luz. Quanto mais insano o personagem fica, mais lentos se tornam os seus passos, elemento que faz com que a aventura se torne ainda mais tensa. Tudo isso, somado a um design de som excelente, resulta em um dos melhores jogos de terror já lançados até hoje.

Doom 3: BFG Edition

Apesar de Doom 3: BFG Edition trazer os três principais títulos da série, é o terceiro capítulo da franquia que merece destaque no que diz respeito ao quesito sustos. Repleto de corredores escuros, o game serve como um verdadeiro teste para a mente dos jogadores, já que inimigos podem simplesmente brotar do nada a qualquer hora.

Isso faz com que você fique em um clima de tensão constante, já que nunca sabe ao certo quando uma criatura pode aparecer. Não é incomum limpar uma sala repleta de inimigos para, assim que você estiver relaxado da matança, surgir um monstro infernal atrás do personagem de maneira totalmente inesperada.

O que se destaca em Doom 3 é o fato de que ele consegue provocar medo mesmo fornecendo as ferramentas para que o jogador se defenda das criaturas que surgem em seu caminho. Caso você seja fã de terror e goste de um bom FPS, a compra da BFG Edition é um ótimo investimento.

Slender

Desenvolvido a partir de uma lenda urbana surgida na internet, Slender coloca você em meio a uma floresta escura com o objetivo de encontrar oito pedaços de papel espalhados pelo local. Algo que seria relativamente simples, não fosse o fatos de que os ambientes estão cercado pela escuridão e de uma criatura conhecida como Slender Man estar seguindo cada um de seus passos.

Embora o game deixe claro que você não será atacado a não ser que olhe diretamente para o monstro, é difícil não se sentir tentado a tomar essa atitude. Isso se deve principalmente a um design de som excelente, que faz com que você sinta que a criatura está perto de pular em suas costas a qualquer instante.

Para realmente aproveitar o game (que pode ser baixado de forma totalmente gratuita), o ideal é jogá-lo em um ambiente escuro enquanto usa fones de ouvido. Só não estranhe se isso resultar em seus amigos rindo porque você deu um grito assustado ao se deparar com a criatura que dá nome ao jogo.

Lone Survivor

Lone Survivor é a prova de que não é preciso contar com gráficos tridimensionais avançados para contar uma história aterrorizante. O game coloca você no papel da única pessoa de uma cidade que sobreviveu a uma tragédia que transformou todos os seus moradores em mutantes violentos.

Durante a aventura, a mente do protagonista vai se degradando de forma progressiva, tornando confuso o limite entre o que é real e o que não passa de simples delírio. Tendo como base o apartamento do protagonista, cabe a você explorar os diferentes recantos da cidade destruída para coletar itens, enfrentar monstros e tentar descobrir o que provocou a situação catastrófica.

Sem esconder sua inspiração na série Silent Hill, o game faz com que você tenha que pensar muito bem se compensa mais enfrentar inimigos diretamente ou usar elementos do cenário para se esconder deles. Também é preciso gerenciar quesitos como o cansaço e a fome do protagonista, algo que ajuda a aumentar a tensão toda vez que você decide se aventurar pelo mundo macabro que serve como cenário para o título.

Metro 2033

Metro 2033 coloca você no papel de Artyom, um jovem russo nascido em um dos metrôs da cidade de Moscou, um dos poucos lugares seguros para a raça humana após um desastre nuclear que arrasou praticamente todo o mundo. Para sobreviver a esse ambiente hostil, você deve explorar túneis abandonadas em busca de mantimentos — o problema é o fato de que eles estão repletos de neonazistas violentos, assassinos, ladrões e criaturas mutantes.

Ao contrário de outros FPS, que fazem você se sentir extremamente poderoso, o título da 4A Games faz com que você tenha que pensar bem antes de entrar em um confronto. Como o protagonista é bastante frágil e conta com pouca munição, cada bala disparada tem o potencial de decidir se ele vai sobreviver ou se vai ser vítima de uma morte violenta.

Ao fornecer somente recursos suficientes para que o jogador consiga progredir, Metro 2033 cria um clima de tensão pouco visto em outros jogos de tiro recentes. O problema fica pelo fato de que o game é conhecido por apresentar alguns bugs e, no caso de quem joga no PC, por consumir uma quantidade de recursos bastante considerável.

BioShock

Apesar de não ser em essência um jogo de terror, o primeiro BioShock é sem qualquer dúvida uma das experiências mais tensas proporcionadas pela atual geração de jogos eletrônicos. No game, você assume o papel do único sobrevivente de um acidente aéreo que se vê próximo a um farol abandonado no meio do oceano.

Logo, o protagonista se descobre em meio à cidade subaquática de Rapture, uma verdadeira utopia na Terra que foi destruída por motivos misteriosos. Conforme você explora o local (enquanto é guiado por uma voz misteriosa), começa a entender mais sobre seu passado e descobre o que fez com que tudo desse errado naquele lugar.

As batalhas do jogo ajudam a aumentar o clima de tensão, especialmente quando surgem os poderosos Big Daddies, criaturas mecânicas capazes de acabar com sua vida em um instante. Com uma narrativa rica e personagens marcantes, BioShock é uma experiência que deve ser experimentada por todos que admiram as possibilidades oferecidas pela linguagem típica dos jogos eletrônicos.

Dead Space

Tendo como cenário a vastidão (e solidão) do espaço, a série Dead Space é um dos últimos refúgios desta geração para quem é fã do gênero survival horror. Enquanto séries como Resident Evil e Silent Hill abandonaram suas raízes, favorecendo experiências em que os personagens devem encarar seus medos de frente, a franquia da Visceral Games consegue manter os jogadores tensos, passando a sensação de que o personagem principal da aventura pode morrer a qualquer instante.

Apesar de o game recorrer a sustos que muitos considerariam baratos (como inimigos quebrando dutos de ventilação), não é somente isso que o torna assustador. Contando com um design de som muito bom, o jogo é competente em transmitir toda a solidão e medo que o protagonista sente ao explorar os corredores da USG Ishimura.

As limitações dos controles do título fazem com que o jogador se sinta despreparado para lidar com os monstros que surgem pelo caminho, e justamente daí decorre grande parte do terror que você sente ao enfrentá-los. Dead Space 2 é igualmente competente em manter o clima de tensão da série, explorando os aspectos psicológicos e os delírios do protagonista Isaac Clarke.

Qual a sua opinião?

E você, o que pensa sobre a nossa seleção de jogos assustadores? Como afirmamos anteriormente, a intenção não era destacar jogos que simplesmente apresentam sustos, mas sim mostrar produções em que o clima de suspense se mantém intacto durante grande parte da aventura — algo que justifica a inclusão de nomes como BioShock e Doom 3: BFG Edition.

Deixe suas impressões sobre o assunto em nossa seção de comentários e nos diga qual é, em sua opinião, o jogo mais assustador já lançado até hoje.

Cupons de desconto TecMundo: