Em Berlim, na Alemanha, um museu peculiar chama a atenção dos geeks e gamers. Nada de quadros antigos ou documentos históricos: o Computerspielemuseum Berlin ou Museu do Video Game de Berlim concentra mais de 2500 consoles antigos e mantém intacta a história dos jogos eletrônicos.

Fundado em 1997, ele ficou três anos em funcionamento e, passado esse tempo, teve de fechar as portas. Em 2011, o Computerspielemuseum Berlin foi reaberto ao público. Este é o primeiro e único espaço voltado apenas para a história dos games em todo o mundo. 

Do Atari ao SNES, o museu traz jogos, consoles, fotos, entrevistas e ricas informações sobre empresas, desenvolvedores e jogos. E o mais legal? Você pode jogar todos os clássicos e se divertir com alguns conceitos malucos. O Tecmundo foi até lá e traz para você informações sobre as principais peças do Museu do Video Game. Prepare-se para sentir muita nostalgia e divirta-se!

História de bit a bit

Jogos por correspondência (Séc. XIX)

AmpliarJogos por correspondência (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A tradição de jogar com pessoas de outros lugares existe muito antes da LIVE ou da PSN. Os primeiros jogos do tipo de que se tem notícia datam do século XIX e eram, em sua maioria, xadrez por correspondência. Nas idas de 1960, os norte-americanos expandiram a ideia, criando os famoso jogos de estratégia baseado em turnos.

Nimrod (1951)

AmpliarNimrod (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Este é o primeiro computador criado única e exclusivamente para rodar jogos. Desenvolvido em 1951, o Nimrod foi projetado para rodar o game Nim, um jogo antigo que consiste em uma pilha de palitos que devem ser descartados, um a um, pelos jogadores. 

Noughts and Crosses – Jogo da Velha (1952)

AmpliarNoughts and Crosses (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A simplicidade do Jogo da Velha foi perfeita para os primeiros computadores. Criado na Universidade de Cambridge, esse game foi produto de um doutorado que tratava da comunicação entre homem e máquina.

Estojo de pintura Winky Dink (1955)

AmpliarWinky Dink (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Esta foi a primeira tentativa de interação com a TV. Durante o programa, o apresentador pedia para que determinada parte do livreto colado ao televisor fosse pintada com uma caneta especial. Apesar da intenção, a pintura, claro, não afetava em nada a programação.

Um dos primeiros controles remotos (1950)

AmpliarUm dos primeiros controles remotos (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Na década de 50, uma explosão no consumo de televisores teve como consequência um crescimento na quantidade de canais oferecidos. Para navegar entre eles, nada melhor do que um controle remoto.

Brown Box (1969)

AmpliarA mãe dos video games (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A famosa caixa marrom é considerada por muitos a mãe dos vídeo games. Este é o protótipo do famoso game doméstico Odyssey, apresentado em 1972.

Piko Dat (1969)

AmpliarSuas próprias combinações (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O jogo, criado também na antiga GDR, permitia que o usuário rodasse e até mesmo programasse pequenos aplicativos a partir da manipulação do circuito.

Computer Space (1971)

AmpliarComputer Space (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O arcade, criado por um dos fundadores da Atari, foi o primeiro video game a funcionar a partir de moedas e o primeiro a utilizar os jogos eletrônicos de forma comercial. O jogo Spacewar! consistia em uma espaçonave com mísseis que deveria detonar a frota inimiga. Apesar de tudo, o arcade não alcançou muito sucesso, devido a seus comandos complexos.

Odyssey (1972)

AmpliarOdyssey (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A Brown Box, depois de alguns anos, se transformou no Odyssey, o primeiro video game doméstico da história. O gadget vinha com capas coloridas para personalização, 12 jogos diferentes e até mesmo armas que permitiam interagir com o jogo.

Arcade Pong (1972)

AmpliarArcade Pong (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Este é um arcade feito especialmente para rodar o jogo Pong, criado em 1972 pela Atari. Pong é um jogo simples que consiste em uma partida de tênis, com duas raquetes ou paletas e uma bolinha e, junto a jogos como Pac-Man e Tetris, é um dos títulos clássicos mais conhecidos de todos os tempos.

Dungeons & Dragons (1974)

AmpliarDungeons & Dragons (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O famoso D&D foi o primeiro RPG de fantasia que deu realmente certo. Criado a partir de jogos militares de estratégia, o game recebeu influência da trilogia "O Senhor dos Anéis" e até hoje serve como referência para novos jogos de fantasia.

Channel F (1976)

Ampliar (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O Channel F, também conhecido como Videoplay, foi o primeio video game cujos jogos eram vendidos separadamente. Os desenvolvedores tinham mais liberdade para desenvolver games para a plataforma.

Max Headroom Show (1985)

AmpliarMax Headroom (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Max Headroom foi a primeira tentativa de se criar um apresentador de TV virtual. A tecnologia disponível na época não permitia grandes animações, por isso, o personagem é um ator de verdade que se transformava devido a alguns efeitos especiais.

Poly Play Arcade (1985)

AmpliarPoly-Play (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O arcade, desenvolvido em 1985 pela República Democrática da Alemanha (GDR), trazia uma série de jogos, como o famoso Pac-Man.

KC 85/4  (1987)

AmpliarKC 85/4 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A série de video games KC foi um verdadeiro sucesso na antiga GDR. Com bons gráficos e efeitos sonoros para a época, o console inspirou vários programadores a desenvolverem seus próprios jogos para a plataforma.

Virtuality (1991)

AmpliarVirtual Reality (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Os video games, desenvolvidos nos anos 90, traziam um visor com 3D esteroscópico e tela de LCD, joysticks e a possibilidade de jogos multiplayer.

Virtual Boy (1995)

AmpliarVirtual Boy (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Lançando em 1995, a plataforma foi a primeira a usar gráficos 3D e foi também um dos maiores fracassos da Nintendo. O preço alto e um efeito tridimensional que deixava a desejar foram os grandes pontos contra.

Nintendo 3DS (2011)

 

AmpliarNintendo 3DS (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

E até mesmo o Nintendo 3DS, lançado em 2011, já, literalmente, virou peça de museu!

 

Arte e tecnologia

Gamblers (2002)

AmpliarGambler (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O que fazer com alguns computadores velhos? Arte tecnológica, é claro!

Jumbo Joystick (2010)

AmpliarJumbo Joystick (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O joystick gigante de Atari não serve apenas para chamar a atenção: ele de fato funciona! No Museu do Video Game, em Berlim, você pode usá-lo para controlar o jogo Pac-Man.

Carro movido a "feijão"

AmpliarVocê pedala, o carro anda (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Você quer que seu carro de corrida voe nas pistas e chegue em primeiro lugar? Você terá que suar! Nesta divertida adaptação de controle, o video game está conectado a uma bicicleta ergométrica e a velocidade do carro varia conforme a velocidade com que você pedala. Controles na bicicleta permitem guiar o direcionamento do veículo.

Arcades

AmpliarArcades de games clássicos (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Arcades com jogos como Space Invaders, Asteroids e Centipede estão disponíveis para que os visitantes se divirtam à vontade.

PainStation

AmpliarPainStation (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Desenvolvido na Alemanha, PainStation é um jogo realmente bizarro e masoquista. Baseado no famoso Pong, o jogador controla as paletas com a mão direita, enquanto a esquerda repousa sobre uma placa metálica. Então, a cada movimento errado, o jogador recebe sua punição: choques, chicote ou chapa quente. Quem desistir primeiro, perde. As editoras lamentam, mas não tiveram muita coragem de testar esse brinquedo. Veja o resultado de alguns malucos que sofreram as consequências do PainStation:

 

Armazenamento

Uma parede especial do museu traz os principais meios utilizados para o armazenamento de jogos eletrônicos. É claro que há outros tipos de cartuchos e, hoje, temos o DVD e o online. Confira.

AmpliarPrincipais formas de armazenamento de games (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

 

Fitas cassetes (desde 1963)

Fitas cassetes foram meios comuns para gravar jogos, devido ao baixo custo e capacidade razoável de armazenamento.

Cartuchos para video games (desde 1976)

Cartuchos eram mais caros que as fitas cassetes, mas tinham a vantagem de serem lidos diretamente pelo console, sem que fosse preciso carregar o código antes de jogar.

Disquetes 5 ¼  polegadas(desde 1976)

Para a época, o espaço oferecido por um disquete era monstruoso – assim como o preço. O formato só ganhou popularidade a partir dos anos 80.

Disquetes 3 ½ polegadas (desde 1981)

Menores no tamanho e maiores em termos de armazenamento, os disquetes 3 ½ carregavam até 1,44MB e foram amplamente utilizados até os anos 90.

Discos rígidos (desde 1956)

A partir dos anos 50, os sistemas de armazenamento magnético já estavam disponíveis em diversos tamanhos e faziam uso de diferentes tecnologias. Claro que não chegavam perto dos HDs de 2TB que temos hoje, mas, para a época, era um grande avanço.

CD-ROM (desde 1979)

O CD-ROM contém uma série de dados que pode ser lido por meio de um laser.

.....

Visitar o Computerspielemuseum Berlin é uma divertida viagem no tempo dos games. O acervo é grande e muito bem cuidado, com a vantagem de poder jogar a grande maioria dos games clássicos lá disponíveis. Na saída do museu há ainda uma lojinha, onde você pode adquirir livros sobre a história dos games, camisetas e divertidas bugigangas relacionadas aos jogos.

O Computerspielemuseum Berlin fica no bairro de Friedrichshain em Berlim, Alemanha. Se um dia você estiver passando por perto, entre e confira. Entrar em um museu nunca valeu tanto à pena!

*Todas as informações contidas neste artigo foram traduzidas e adaptadas a partir do acervo do Computerspielemuseum Berlin.

Cupons de desconto TecMundo: