Um homem de 18 anos acusado em Dijon, na França, por "incentivar o terrorismo". Como? Alterando o nome da própria rede WiFi para "Daesh 21". O rapaz, que não foi identificado, recebeu uma sentença suspensa de três meses de prisão.

"Daesh" é um acrônimo árabe para Estado Islâmico e "21", no contexto colocado na rede WiFi, representa a província francesa onde o rapaz mora, ou seja, Dijon. De acordo com a mídia local, o garoto foi sentenciado sob uma nova lei antiterrorismo (Artigo 421-2-5) que torna crime "provocar atos de terrorismo ou incentivar publicamente um desses atos". Na lei, acusados podem cumprir até 5 anos de cadeia e pagarem uma multa de US$ 83 mil (R$ 265 mil) — e se "comunicações online públicas" também forem usadas, as penas podem subir para 7 anos de reclusão e multa de US$ 111 mil (R$ 354 mil).

PC e smartphone foram confiscados pela polícia francesa

A mídia local também relatou que quem alertou as autoridades sobre a rede WiFi foram os vizinhos do rapaz. A polícia confiscou o computador, o smartphone e realizou buscas nas redes sociais do acusado para procurar ligações terroristas.

Segundo o Le Bien, o garoto de 18 anos estava "totalmente atordoado" diante o tribunal e que ele "não é um terrorista", indicando que tudo não tenha passado de uma brincadeira de mau gosto. Inicialmente, o rapaz foi sentenciado a 100 horas de serviço comunitário, que foi negado pelos advogados do acusado, então, o tribunal decidiu entregar uma sentença suspensa de três meses.

"É um garoto de 18 anos que nem é capaz de explicar esse nome. Eu não acho que renomear a rede WiFi é um ato de incentivo! É neutro, é nonsense, não é um argumento", disse o advogado.

A rede WiFi do garoto, agora, se chama "Roudoudou 21": um doce francês.

Roudoudou é mais seguro que Daesh

Cupons de desconto TecMundo: