Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, disse que vai conversar com o presidente Michel Temer e solicitar que ele analise a possibilidade de vetar parcialmente o texto da reforma política que permite a censura na internet, segundo o Globo. Isso significa que, caso a emenda seja aceita por Temer, políticos poderão pedir a identificação de usuários de redes sociais e, posteriormente, a remoção de conteúdos com "discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensa".

"Vou conversar amanhã como presidente Temer para ver como se resolve isso. O presidente pode avaliar se há caminho para algum veto parcial que se garanta o conteúdo que sei que o Áureo quis, mas que não permita que ele seja utilizado para alguma censura", disse o presidente da câmara. 

Talvez um veto parcial resolva, porque não pode caminhar para a censura nem para a libertinagem que tem hoje, disse Maia

A emenda, que foi incluída pela Câmara na noite de quarta-feira, ideia do deputado Áureo (SD-RJ), foi pensada para impedir agressões sem provas realizadas por usuários de redes sociais.

Maia ainda comentou: "A audiência hoje das redes sociais é cada vez maior, então as redes podem gerar um dano tão grande quanto um jornal, revista, televisão, só que sem os controles que uma empresa de jornalismo têm. O debate sobre esse tema está colocado. Talvez um veto parcial resolva, porque não pode caminhar para a censura nem para a libertinagem que tem hoje".

Cupons de desconto TecMundo: