As mulheres vão poder decidir se querem ou não iniciar a conversa depois de um "match" no Tinder. A novidade, que já é uma função nativa do rival Bumble, vem para dar mais liberdade e evitar a pressão que muito homens fazem para conversar após uma bem-sucedida combinação. Atualmente, qualquer um dos dois lados pode começar um chat depois da notificação de pareamento.

“Muitas vezes, as mulheres realmente não querem a pressão de dar início à conversa, mas se quiserem, isso é ótimo. Dar às pessoas a escolha ao invés de dizer como elas devem se envolver é a grande diferença”, justificou a chefe-executiva Mandy Ginsberg, em entrevista ao MarketWatch, sem especificar uma data de lançamento. Esse recurso é um dos pilares do Bumble, lançado pela cofundadora do Tinder, Whitney Wolfe Herd, que deixou a companhia processando-a por assédio sexual e discriminação, em caso que lhe rendeu um acordo de US$ 1 milhão.

tinder

Perguntada se não estaria copiando a concorrência, Mandy, que após subir ao cargo de chefia no Match Group — dono do Tinder, do Match.com e do OkCupid — vem sendo questionada sobre mais empoderamento feminino em sua plataforma, disse que “não é uma reação a nenhum competidor”. “Temos que ouvir constantemente o que as mulheres querem e atender às suas necessidades, não apenas no Tinder, mas em todos os produtos.”

De acordo com o Match Group, o Tinder possui atualmente mais de 3 milhões de assinaturas pagas e os números vêm crescendo após a chegada do Tinder Gold, que permite visualizar o histórico de “curtidas” no perfil.