Um estudo conduzido pela Universidade de Oxford chegou à conclusão de que bots e “trolls profissionais” que atuam em redes sociais podem estar manipulando suas visões de acontecimentos políticos. Conduzida com usuários de nove países, a pesquisa mostra que sites como o Facebook e o Twitter estão sendo usados para a propagação de propagandas ideológicas de forma muitas vezes disfarçada.

Entre os exemplos de como se dá a atuação de bots está na propagação de notícias que dão a entender que um candidato ou ideia tem grande popularidade na internet — o que acaba se refletindo no mundo real. O estudo também mostra que esse tipo de ferramenta ajuda na disseminação de notícias falsas, que podem influenciar nossa visão de mundo.

Os métodos mais eficientes de proliferar desinformação combinam a ação dos bots às de 'trolls virtuais'

Segundo o estudo, os métodos mais eficientes de proliferar desinformação combinam a ação dos bots às de “trolls virtuais”, algo que se torna muito evidente na China. Segundo os pesquisadores, o país asiático apresenta uma grande coordenação entre esses dois fatores na divulgação de propagandas.

Ainda segundo o estudo, a Alemanha é o país mais bem preparado para lidar com o espalhamento de informações falsas por redes sociais. Além de o governo local preparar uma série de regulamentos para a internet local visando combater essa ameaça, há muitos grupos de vigilância criados pela sociedade civil que se encarregam de filtrar as informações divulgadas.

Cupons de desconto TecMundo: