Mobylette: a bicicleta elétrica precisa de CNH?

2 min de leitura
Imagem de: Mobylette: a bicicleta elétrica precisa de CNH?
Imagem: Caloi
Avatar do autor

A Mobylette, que fez muito sucesso nos anos 80, foi relançada pela fabricante Caloi neste ano para competir no setor de bikes elétricas. A notícia chama a atenção tanto de quem nutre uma nostalgia em relação ao modal, quanto para quem vê os veículos elétricos como uma alternativa sustentável para o trânsito abarrotado de carros poluentes.

Mas o que muita gente está se perguntando é: precisa ter carteira de motorista para conseguir rodar com uma Mobylette pelas ruas? Confira mais detalhes sobre a documentação necessária para usar a bicicleta elétrica da Caloi.

É preciso ter CNH para dirigir uma Mobylette?

(Fonte: Caloi)(Fonte: Caloi)Fonte:  Caloi 

Para responder a essa pergunta, é necessário lembrar que a Mobylette é um ciclomotor. Ou seja, ela é considerada uma moto (e não uma bicicleta) com motor quatro tempos, de até 50 cm³. Os ciclomotores ainda têm a velocidade máxima de 50 km/m, sendo considerados então motocicletas mais leves.

De acordo com a legislação brasileira, o motorista de um ciclomotor deve estar sim habilitado. É obrigatório possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da categoria A, destinada a motocicleta, ou tirar uma Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC).

A Mobylette é considerada um ciclomotor e, por causa disso, exige habilitação

Além disso, desde 2016, os ciclomotores são registrados como veículos automotores (o Renavam) e são emplacados. As Mobylettes, portanto, pagam IPVA, seguro obrigatório e licenciamento anual, e o motorista precisa usar equipamentos de segurança, como o capacete, para dirigir.

Vale lembrar que, como os outros ciclomotores, as Mobylettes devem obedecer a algumas regras de conduta no trânsito. São proibidas de circular em estradas ou vias expressas, e sob hipótese alguma devem ser conduzidas sobre calçadas ou ciclovias. Ser pego nesta situação acarreta uma infração grave ao motorista.

Por isso, esqueça do passado em que havia poucas regras e as Mobylettes eram dirigidas até por adolescentes e crianças. Agora, o Código Brasileiro de Trânsito exige que elas sejam tratadas como veículos motorizados como quaisquer outros.

A nova versão da Mobylette

(Fonte: Caloi)(Fonte: Caloi)Fonte:  Caloi 

A Mobylette foi lançada no Brasil nos anos 70 pela Caloi, trazendo para o país o sucesso de vendas na Europa de ciclomotores parecidos. Como a fábrica era em Manaus, a empresa conseguiu oferecer preços acessíveis ao modal. Por consequência, ela se tornou cada vez mais popular, até deixar de ser fabricada nos anos 90.

A nova versão da Mobylette traz de volta o design da original, o que dá um ar vintage a ela. Com um motor de cubo com 36V, ela tem 350W de potência e torque de 4kgfm. Em relação à primeira Mobylette, a nova versão traz freio hidráulico, mais seguro, e pneus mais largos. Sua bateria oferece autonomia de até 30 km antes de ser carregada novamente.