Motorista reserva de Uber autônomo que matou ciclista é indiciada

1 min de leitura
Imagem de: Motorista reserva de Uber autônomo que matou ciclista é indiciada
Imagem: https://unsplash.com/photos/-UAmLjpbFis
Avatar do autor

As autoridades americanas consideraram a motorista reserva de um Uber autônomo como negligente durante sua função, o que resultou no primeiro acidente fatal envolvendo um veículo desse tipo. O departamento de Polícia de Temp, cidade onde ocorreu o acidente, no dia 18 de março de 2018, publicou um vídeo que mostra o comportamento da motorista reserva Rafaela Vasquez, momentos antes de o Uber atingir Elain Herzberg, que tinha 49 anos de idade.

Negligência ao desempenhar função

Vasquez já tinha declarado aos investigadores que não usava o celular no momento do acidente, mas alegações contra ela afirmavam que a motorista não estava totalmente atenta ao trânsito, o que poderia ter influenciado diretamente na fatalidade.

Nesta terça-feira (15), Vasquez foi acusada de homicídio negligente, devido ao seu comportamento poucos instantes antes do acidente: os investigadores descobriram que a motorista reserva estava assistindo TV em seu celular, ao invés de prestar atenção na estrada.

Aviso: o vídeo abaixo foi editado, mas ainda pode chocar algumas pessoas.

Ainda, segundo os investigadores, outros fatores contribuíram para o acidente, incluindo “os procedimentos de segurança inadequados do Uber e a supervisão ineficaz de seus motoristas, a decisão de Herzberg de atravessar a rua e não usar uma faixa de pedestres, e a supervisão insuficiente do Departamento de Transporte do Arizona de testes de veículos autônomos”.

Apesar de ter sido citada, a Uber ainda não foi considerada culpada pela promotoria.

Vasquez se declarou inocente durante a audiência de ontem (15), e agora vai enfrentar outro julgamento, marcado para o dia 11 de fevereiro de 2021, enquanto as investigações continuam.

Motorista reserva de Uber autônomo que matou ciclista é indiciada