Há alguns dias, a Samsung anunciou uma parceria polêmica com uma empresa italiana que ganhou na justiça o direito de usar a marca de moda Supreme, originalmente de Nova York. Essa marca “falsificada”, em aliança com a gigante sul-coreana de tecnologia, iria abrir lojas de varejo na China para comercializar produtos da Samsung.

O problema é que agora, após toda a repercussão negativa após o anúncio, a Samsung pode estar revendo sua decisão segundo uma publicação no perfil oficial da empresa no Weibo, a rede social chinesa. Segundo tradução livre, a companhia estaria “reavaliando essa cooperação”. Ainda não se sabe ao certo qual vai ser o futuro desse projeto de entrada no mercado chinês como loja de varejo.

a

A reação negativa tanto da marca Supreme original quanto de consumidores em todo o mundo fez com que a Samsung parasse para reavaliar a parceria. Caso a empresa sul-coreana realmente cancele o projeto, fica a dúvida se outra marca deve entrar no lugar ou se tudo não passava apenas de uma ação para colocar as marcas em evidência na internet.