Há anos os seres humanos navegam à luz das estrelas, mas agora a NASA tem uma nova motivação pelos corpos brilhantes do céu. É que os cientistas estão construindo um sistema de posicionamento galáctico que funcionará de maneira semelhante ao GPS que utilizamos aqui na Terra. Tal sistema será baseado no disparo de flashes de raios X perfeitamente cronometrados a partir de pulsares, tipos de estrelas de nêutrons.

A diferença principal é que o GPS do seu telefone funciona de forma rápida, mas o sistema de posicionamento galáctico trabalharia de maneira mais devagar — aproveitando o tempo necessário para percorrer longos trechos de espaço profundo.

1

Um telescópio montado na Estação Espacial Internacional (ISS), o NICER, foi usado para desenvolver a nova tecnologia com aplicações práticas de curto prazo. No último domingo (15), o cientista da NASA Zaven Arzoumanian explicou um pouco sobre a novidade: "você pode enfiar uma agulha para entrar em órbita ao redor da lua de um planeta em vez de fazer um sobrevoo". O sistema também poderia fornecer "um retorno, de modo que, se uma missão tripulada perdesse o contato com a Terra, eles ainda teriam sistemas de navegação a bordo que são autônomos", completou Arzoumanian.

O novo sistema da NASA pode tornar realidade os voos espaciais tripulados para Marte, além de preparar o caminho para missões contínuas para explorar a galáxia e ir corajosamente aonde ninguém foi antes. Essa seria a primeira vez que humanos usariam pulsares para navegar.

2

Com isso, em vez de confiarem em grandes equipamentos de comunicação para garantir que a conexão com a Terra permaneça intacta, os pesquisadores podem dedicar esforços à criação de uma embarcação que não precise entrar em contato com seres humanos até que a missão seja concluída.

Ainda não há previsão para o lançamento do sistema, mas é provável que possamos ver tal dispositivo em ação num futuro muito próximo.

Cupons de desconto TecMundo: