O Broad Institute, vinculado à Universidade de Harvard e ao Massachusetts Institute of Technology (MIT), anunciou em conjunto com a Google uma redução massiva nos custos de análise, processamento e armazenamento de dados provenientes do sequenciamento genético feitio na instituição.

Em média, um genoma humano é sequenciado a cada 10 minutos no Broad Institute e, há pouco mais de um ano, cada análise genômica custava no geral US$ 45 (R$ 147). Esse valor considerava principalmente os custos de manter uma infraestrutura computacional local para processar e armazenar os dados provenientes das análises. Ao todo, são gerados 24 TB de dados por dia no Broad Institute.

O instituto afirma que conseguiu reduzir os custos de análises individuais em quase 90%, saindo de US$ 45 para apenas US$ 5

A instituição então começou a migrar sua estrutura de processamento e armazenamento para a nuvem da Google, mais especificamente o Google Cloud Platform. Atualmente, o Broad Institute tem mais de 36 petabytes (PB) armazenados nos servidores da Google. Isso é o equivalente a 1.024 TB de dados, os quais representam mais de 37 bilhões de gigabytes. Com a computação em nuvem, o instituto afirma que conseguiu reduzir os custos de análises individuais em quase 90%, saindo de US$ 45 para apenas US$ 5 (R$ 16) por genoma.

“Tem sido um privilégio apoiar o Broad em sua missão de avançar na pesquisa biológica e no tratamento de doenças, além de estabelecer as bases para uma nova geração de terapias. Fazemos parte de um marco importante para a comunidade científica”, disse Jonathan Sheffi, gerente de produto de Genômica e Ciências de Vida para o Google Cloud.

O instituto ainda disponibilizou online o processo utilizado para realizar a migração. Confira os detalhes neste link.

Cupons de desconto TecMundo: