Tweet de Elon Musk faz acesso ao Signal viralizar

1 min de leitura
Imagem de: Tweet de Elon Musk faz acesso ao Signal viralizar
Imagem: Businesblog
Avatar do autor

Depois de ultrapassar Jeff Bezos, dono da Amazon, como pessoa mais rica do mundo, Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, resolveu declarar guerra ao WhatsApp, e um tweet de sua autoria, publicado nesta quinta-feira (7), provocou uma verdadeira “corrida” para o aplicativo de mensagens Signal.

Segundo os representantes do serviço de mensagens criptografadas, a procura pelo aplicativo foi tamanha, que a empresa não está conseguindo lidar com a demanda, o que tem causado até atrasos nas verificações de números de telefone de novos usuários e atrasos nos envios de códigos.

O Signal é um aplicativo de mensagens semelhante ao do Facebook, porém promete maior segurança e privacidade. Ele é mantido por uma fundação sem fins lucrativos, a Signal Technology Foundation, criada por Brian Acton, um dos pais do WhatsApp, e Moxie Marlinspike, um dos nomes mais respeitados no campo da criptografia de mensagens.

Use Signal, segundo a língua de Elon

A mensagem de Musk foi lacônica: "Use Signal", e foi bastante para elevar as ações da Signal Advance, que nada tem a ver com a história, em mais de 500%. Edward Snowden, o analista de sistemas que denunciou os esquemas de espionagem do governo americano, e é usuário do Signal, ajudou a traduzir a mensagem "para aqueles que não falam a língua do Elon", segundo ele.

Não por acaso, a mensagem de Musk acontece poucos dias após o WhatsApp anunciar mudanças em seus termos de uso e políticas de privacidade, que reconhecem o uso pela empresa de “endereços de IP e outras informações, como o código de área do telefone” para conseguir localizar usuários.

Como essas informações acabam alimentando os algoritmos de prospecção de negócios do Facebook, Bezos optou, em seu tweet, por uma imagem metafórica de dominós crescentes, que começa com uma classificação de garotas desejáveis no campus de Harvard e termina em uma plataforma que, de certa forma, facilitou o ataque ao Congresso americano na última quarta-feira (6).