Vacina contra gripe reduziu infecção pelo coronavírus, diz estudo

3 min de leitura
Imagem de: Vacina contra gripe reduziu infecção pelo coronavírus, diz estudo
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

As pessoas vacinadas contra a gripe comum teriam algum tipo de proteção a mais contra o novo coronavírus? Um estudo realizado nos Estados Unidos, publicado recentemente no American Journal of Infection Control, tentou responder a esta pergunta.

Conduzida pela pesquisadora da Universidade de Michigan Anna Conlon, a investigação analisou os dados de 27.201 pessoas do estado de Michigan (EUA) que realizaram teste de covid-19 até o dia 15 de julho do ano passado. Deste total, 12.997 indivíduos receberam a vacina contra a Influenza anteriormente.

De acordo com o artigo, a proporção dos imunizados contra a gripe dentro da amostra que acabaram infectados pelo Sars-CoV-2 foi menor do que entre aqueles não inoculados — 4% contra 4,9%, respectivamente — uma diferença pequena mas significativa.

A vacina contra gripe é aplicada anualmente.A vacina contra gripe é aplicada anualmente.Fonte:  Pexels 

Outro detalhe observado na pesquisa é que quem recebeu a vacina da gripe também era menos propenso a ser internado e a precisar da ventilação mecânica ao contrair a covid-19 — em caso de hospitalização, essas pessoas ficavam um tempo menor no hospital. Já em relação à taxa de mortalidade, não houve diferenças significativas entre os grupos.

Imunidade treinada

Uma hipótese levantada pelos especialistas para explicar o fato de a vacina da gripe supostamente contribuir para uma melhora na defesa contra o novo coronavírus estaria relacionada à imunidade treinada, processo ativado no organismo após a vacinação contra a Influenza.

Ao receber a fórmula aplicada anualmente, o sistema de defesa do corpo, que inclui elementos como fagócitos, células dendríticas, citocinas e os leucócitos T e B, é reforçado. Com isso, desencadeia-se uma resposta pró-inflamatória direcionada e aumentada, capaz de proteger contra outros tipos de patógenos.

A vacina reforça as defesas do organismo contra outros patógenos.A vacina reforça as defesas do organismo contra outros patógenos.Fonte:  Pixabay 

Algo semelhante já foi notado em relação à vacina BCG e com a vacina contra o sarampo, de acordo com o estudo. Pesquisas feitas há alguns anos mostraram que as crianças adquiriram uma maior imunidade contra diversos outros patógenos ao receber as duas fórmulas.

No caso da vacina do sarampo, essa proteção extra adquirida após a aplicação permanecia por um longo tempo. Por outro lado, as crianças não vacinadas apresentavam uma imunidade muito menor contra os mesmos patógenos, conforme os especialistas.

Cuidados com a saúde

A conclusão à qual chegou o estudo, apontando para uma possível associação entre a vacina contra gripe e a diminuição dos casos de covid-19, além dos melhores resultados clínicos, também pode ter relação com os cuidados de saúde tomados pelos grupos da imunização anual.

Nos EUA, a vacinação contra a Influenza é direcionada principalmente aos idosos, aposentados e indivíduos com problemas de saúde pré-existentes, público que já havia se isolado de forma voluntária desde os primeiros dias da pandemia. Enquanto isso, as pessoas saudáveis e os mais jovens, que geralmente não recebem a injeção, continuavam a ir à rua, para trabalhar ou realizar outras atividades.

A maior proteção também pode estar associada aos cuidados.A maior proteção também pode estar associada aos cuidados.Fonte:  Pixabay 

Dessa forma, a menor propensão a contrair a doença e a ter quadros mais leves de covid-19 do que os não vacinados contra gripe também pode estar associada ao estilo de vida mais cauteloso dos imunizados, de acordo com a investigação.

Novos estudos são necessários

Estas duas hipóteses levantadas pela pesquisa ainda deixam algumas dúvidas. Em relação à última, por exemplo, uma simples constatação pode fazê-la perder força. Normalmente, os idosos apresentam maiores chances de ter quadros graves de covid-19, mas os pacientes da amostra estudada não tiveram tais complicações.

Além disso, um estudo feito na Holanda, incluindo pessoas com mais de 70 anos de idade, apresentou resultados semelhantes ao americano, ou seja, houve menos casos de covid-19 entre os indivíduos vacinados contra gripe do que no grupo não imunizado.

Nos EUA, os idosos também são prioridade na vacinação contra gripe.Nos EUA, os idosos também são prioridade na vacinação contra gripe.Fonte:  Unsplash 

Por isso, os pesquisadores sugerem novas análises para entender melhor esta relação casual, mas sugerem a promoção da vacina contra gripe para reduzir a carga da covid-19 enquanto o imunizante contra o novo coronavírus não estiver amplamente disponível.

Vacina contra gripe reduziu infecção pelo coronavírus, diz estudo