(Fonte da imagem: Reprodução/SACOM)

Fornecedoras chinesas, responsáveis pela fabricação de peças para a Apple, estão sendo acusadas pela Student & Scholars Against Corporate Misbehavior (SACOM) de explorar seus funcionários, desrespeitando condições humanas. A empresa afirma que está sendo feita a monitoração dos trabalhos, mas o relatório nega.

As companhias que sofrem a denúncia são a Foxlink, Pegatron e Wintek. No texto oficial divulgado pela SACOM, a organização comenta que a Apple deixa claro em seu código de conduta que “requer que os seus fornecedores garantam os direitos humanos básicos, tal como exigido pela comunidade internacional, e que tratem os funcionários com dignidade e respeito”.

A SACOM afirma que as investigações demonstram que os fabricantes trabalham em “estilo militar” para continuarem alcançando as ótimas metas de venda da empresa. Além disso, o relatório aponta a falta de tempo para descanso e alimentação e horas extras diárias.

Entre outras denúncias, ainda entram agressões verbais, excesso de produtos químicos perigosos, barulho e poeira. A porta-voz da Apple na China se defende das acusações, afirmando que os fornecedores têm ambientes de trabalho seguros e tratam os seus funcionários com dignidade e respeito, além de serem ecologicamente responsáveis. 

Cupons de desconto TecMundo: