Apple rejeita acusação de fixação de preços em e-books

1 min de leitura
Imagem de: Apple rejeita acusação de fixação de preços em e-books
Avatar do autor

O lançamento da iBookstore acabou com o monopólio da Amazon sobre a indústria editorial. (Fonte da imagem: Reprodução/App Store)

Reuters - A Apple rejeitou acusações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos de que a empresa agiu com editoras na fixação de preços de livros eletrônicos. A companhia afirmou que as acusações "simplesmente não são verdadeiras".

O governo norte-americano processou a Apple e cinco editoras, afirmando que as empresas conspiraram para fixar preços dos e-books. O governo acertou acordos com três das editoras que podem levar a edições mais baratas para os consumidores.

Em email enviado à Reuters, o porta-voz da Apple Tom Neumayr confirmou a posição da companhia, publicada inicialmente pelo Wall Street Journal.

"O lançamento da iBookstore em 2010 incentivou a inovação e a competição, quebrando o monopólio da Amazon sobre a indústria editorial", disse Natalie Kerris, porta-voz da Apple, ao jornal.

Kerris defendeu a atual estrutura de definição de preços como um paralelo à lojas de software da Apple.

"Assim como permitimos que os desenvolvedores definam preços na App Store, as editoras definiram seus preços na iBookstore", afirmou.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Apple rejeita acusação de fixação de preços em e-books