Durante a apresentação Xbox Spring Showcase, ocorrida na semana passada, Phil Spencer falou sobre os planos futuros da Microsoft para o Xbox One e para o mundo dos jogos em geral. Entre as diversas informações interessantes divulgadas pelo executivo está o fato de que a companhia não descarta oferecer upgrades de hardware para o console no futuro — algo semelhante ao que acontece no universo dos PCs.

Spencer afirma imaginar um futuro no qual a plataforma de mesa pode receber melhorias pontuais, que substituíram a necessidade de comprar uma máquina totalmente nova dentro de alguns anos. Isso surgiria como forma de diminui a preocupação dos donos do console, que veem um número cada vez maior de franquias exclusivas migrarem para os computadores com o Windows 10.

“Vemos outras plataformas, sejam as mobile ou o PC em que você tem uma inovação contínua que raramente vê em consoles”, explicou. “Os consoles fecham o hardware e a plataforma de software no começo de uma geração. Então você usa isso por sete anos, enquanto outros ecossistemas estão ficando melhores, mais rápidos e fortes. E então você espera pelo novo grande passo”.

“Quando você olha para o espaço dos consoles, acreditamos que vamos ver mais inovações de hardware do que no passado. Vocês vão nos ver surgindo com novas capacidades de hardware durante uma geração, permitindo que jogos tenham compatibilidade passada e futura porque temos Aplicativos Universais Windows rodando sobre uma Plataforma Universal Windows, o que nos permite focar cada vez mais em inovações de hardware sem invalidar os jogos que rodam nessa plataforma”, complementou Spencer.

Maior compatibilidade futura

Segundo Spencer, o plano da Microsoft é oferecer uma plataforma em que jogos mais antigos convivam de forma saudável com lançamentos modernos compatíveis com a resolução 4K — tal qual acontece nos PCs. Nesse contexto, o oferecimento de upgrades de hardware faria bastante sentido, especialmente quando se leva em consideração o preço cobrado por um console em seu período de lançamento.

No entanto, o executivo não entrou em detalhes específicos de como isso poderia ser oferecidos aos consumidores, tampouco esclareceu se há planos concretos para isso. Vale notar que essa não seria a primeira vez que uma empresa aposta em melhorias de hardware para um console já existente, como bem provam o 32X da SEGA e o cartucho de expansão que a Nintendo criou para o Nintendo 64, entre outros produtos.

Você acredita que hardwares expansíveis são o futuro dos consoles? Comente no Fórum do TecMundo