Você consegue se imaginar assistindo a vídeos na internet, hoje em dia, sem o YouTube? Isso parece impossível, mas há 12 anos ele simplesmente não existia. Os vídeos ou vinham em emails com baixa qualidade (por causa do limite de tamanho de anexos) ou estavam hospedados em sites que levavam uma eternidade para carregar. Faltava também um sistema organizado de busca, tipo um catálogo.

A trajetória do maior site de compartilhamento de vídeos do mundo é bem curiosa. Quase não dá para imaginar como o projeto se transformou em parte da cultura digital atual, criando influenciadores e ajudando a disseminar memes. Quer saber como tudo isso começou? Então confira a história a seguir.

Um início modesto

O YouTube nasce oficialmente em 14 de fevereiro de 2005, quando o trio Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim registraram o domínio youtube.com. Os três se conheceram quando trabalhavam no PayPal e saíram com dinheiro no bolso quando o eBay comprou o sistema de pagamentos.

Chad estudou design em Indiana, enquanto Chen e Karim eram programadores formados pela Universidade de Illinois. Eles estavam em uma festa quando discutiram o quanto era difícil assistir a vídeos na internet naquela época. Nascia aí a solução para tudo isso.

Chad virou o primeiro CEO e Chen assumiu o cargo de chefe de tecnologia. Já Karim voltou para os estudos e só permaneceu como acionista, sendo até meio esquecido hoje em dia. A primeira home do YouTube não tem nada a ver com a atual. Ela só tinha abas de favoritos, mensagens e o seu perfil e não exibia nada na tela inicial a não ser o seu login.

E você sabe qual foi o primeiro vídeo da história do YouTube? Confira acima: ele tem só 18 segundos e é apenas Karim fazendo um vlog curto a respeito de elefantes no zoológico.

As primeiras explosões

A existência dessa plataforma foi o suficiente para chamar a atenção da internet e também das marcas. A Nike foi a primeira a aproveitar a nova plataforma com um vídeo histórico. Ronaldinho Gaúcho calça suas novas chuteiras e acerta chutes no travessão várias vezes seguidas. Lembra quando todo mundo tentava descobrir se ele era ou não montagem?

A página principal do YouTube também é alterada para destacar vídeos e outras funções, como assinar canais e dar notas de 1 a 5 estrelas para os clipes. No seu primeiro ano, ele já tinha 2 milhões de visualizações por dia em todo o site e 200 mil usuários registrados. E olha que tudo era bem limitado, já que a plataforma não aceitava uploads maiores que 100 megabytes.

O primeiro escritório do site foi em San Mateo, na Califórnia, e ficava em cima de uma pizzaria e um restaurante japonês. Eles não tinham verba nem para colocar paredes, então os escritórios eram separados por cortinas.

Nessa época, os criadores nem sabiam direito para onde o site iria e achavam até que seria uma plataforma mais privada, para você só hospedar vídeos e mandar para pessoas próximas.

E os gastos estavam começando a subir, especialmente com servidor e banda. De qualquer forma, o site tava crescendo demais e logo não daria para acomodar tanta gente. Ainda no fim de 2005, o YouTube começa a receber os seus primeiros investimentos e a situação dá uma melhorada.

A era Google

Em 2006, o YouTube já era uma sensação e um dos sites de maior crescimento na rede. A plataforma chamou a atenção da Google, que até aquele momento usava o bem inferior Google Videos. A compra é anunciada em outubro de 2006 por 1,65 bilhão de dólares – uma pechincha. A equipe original foi mantida e o site opera até hoje quase de forma independente. Yahoo, Microsoft e a empresa dona do MySpace tiveram ofertas rejeitadas.

A revista TIME sente que a época estava mudando e coloca "You", isto é, "Você", como a pessoa do ano de 2006, por causa da explosão de conteúdos criados por gente comum e postado na internet.

Outro avanço foi nos debates presidenciais dos Estados Unidos em 2007, quando a CNN usa na TV perguntas feitas e postadas por eleitores no YouTube. Hoje seria tudo bem mais fácil, ao vivo e com o chat.

Nesse ano, o site faz o seu primeiro YouTube Awards para premiar os melhores vídeos do site naquele período. Os troféus vão para vários clássicos, tipo o clipe da música "Here it goes again", do OK GO, a campanha Free Hugs e o curta animado fofinho Kiwi. 

A consolidação

Aí o YouTube começa a pensar em ganhar dinheiro e fazer os criadores faturarem também. Nesse ano, são lançados o programa de parcerias, o Content ID para pagamento de direitos autorais e os anúncios dentro dos vídeos.

O ano de 2008 é marcante pelo surgimento dos vídeos em 480p e da versão mobile do site, enquanto o HD só apareceu no ano seguinte. O reconhecimento de fala, que é tão poderoso hoje em dia, só foi adicionado em 2009.

Com o passar dos meses, os primeiros youtubers  sendo que esse termo nem existia ainda  começam a sair dos empregos originais para se dedicar só à produção de conteúdo

Em outubro de 2009, o YouTube ultrapassa 1 bilhão de vídeos visualizados por dia. No ano seguinte, o site ganha o sistema de joinhas e o aluguel de filmes completos. E aí vem a primeira mudança no comando.

O iraniano Salar Kamangar vira CEO, depois de ser um dos primeiros funcionários da história da Google e de comandar a divisão de aplicativos web. E, naquele ano, o site vira o terceiro mais acessado de toda a internet segundo a Alexa, atrás só de Google e Facebook.

Salar comandou o YouTube por 4 anos

Os vídeos ao vivo surgem em 2011 com o YouTube Live, e essa também é a época da Primavera Árabe  manifestantes de vários países com forte censura do governo usaram a plataforma para mostrar os protestos.

Cada vez mais essencial

O ano de 2012 traz várias curiosidades. Para começar, o site apresentou um novo design, com um estilo mais voltado para o mobile e uma cara mais parecida com a que a gente conhece hoje. Foi aí também que surgiu o fenômeno gangnam style, o primeiro que passa de 1 bilhão de views em poucos meses. E aí, quantos views você sozinho deu para ele?

Nessa época, a plataforma muda o algoritmo de ranqueamento e classificação dos vídeos nas sugestões para você e na página inicial. Ele passa a privilegiar não a quantidade de visualizações, mas sim de tempo que as pessoas passavam assistindo. E, quanto maior o vídeo, mais tempo você passava na frente da tela.

Segundo algumas fontes, como o canal The Game Theorists, isso foi o que fez bombar do nada vídeos de gameplay, listas de top 10 ou compilações e, principalmente, criou o fenômeno Minecraft. Canais como o do sueco PewDiePie já eram famosos, mas bombaram ainda mais. 

A partir daí, o algoritmo foi retrabalhado várias vezes pra evitar desagradar os criadores, mas essa é uma confusão que dura até hoje

E o YouTube nunca parou de adicionar novidades na plataforma. Em 2014, vieram os vídeos a 60 frames por segundo e, no ano seguinte, os em 360º. A empresa também tenta novas formas de arrecadar verba, como a versão paga YouTube RED, que tem séries exclusivas e permite visualização offline.

Em 2014, nova troca na cadeira de CEO. Quem assume é ninguém menos que Susan Wojcicki (lê-se "Uodjísqui", como ela mesma explicou em uma entrevista). 

Ela é uma das mulheres mais importantes do mundo da publicidade, além de ser essencial para a história da Google. O motivo? A garagem dela serviu como primeiro escritório para a empresa. Susan depois foi trabalhar no buscador e virou vice-presidente de produtos.

Novos ares

O YouTube hoje é bem diferente daquele lá de 2005, com o vídeo de visita no zoológico. Uma cultura dos youtubers foi criada e vários dos influenciadores de hoje em dia nas redes sociais começaram por lá. E já foram diversas as fases e modas, tipo canal de maquiagem, receita, Minecraft, vlog e esquetes de humor. Várias delas já passaram, mas deixaram muita gente famosa e relevante até hoje.

Chen e Steve, os dois cofundadores que mais permaneceram no site, já em períodos de bonança

E que fim levaram os três fundadores? O ex-CEO Chad Hurley virou conselheiro e investidor. Ele também lançou o app MixBit, um editor de vídeos para celular. Steve Chen também entrou para o MixBit e agora trabalha para a Google Ventures, um braço de investimento e capital de risco da Alphabet, que é a empresa criada para gerenciar a Google e todos os projetos paralelos da companhia.

Já o Jawed Karim, que saiu da empresa logo depois da fundação, continuou como conselheiro no YouTube, além de dar palestras em universidades. E adivinha? ele também virou investidor.
Atualmente, o serviço tem mais de 1 bilhão de usuários, e hoje mais da metade dos views são em dispositivos móveis.

Muita gente, mesmo lá de dentro, se pergunta até hoje como foi que o YouTube deu tão certo.

Ele conseguiu deixar de lado concorrentes com o Vimeo, que eu pessoalmente acho lindo, e o DailyMotion — e não foi só por causa da compra da Google. Já a grande concorrência hoje é do Facebook, que investe pesado em vídeo atualmente e vai incomodar bastante.

O YouTube verde e amarelo

O ano de 2007 é importante para o Brasil. Em 19 de junho, nasce o YouTube localizado em português brasileiro, junto com versões no Japão e em vários países da Europa. Se não fosse o YouTube, muita gente aqui não teria acesso tão fácil a grandes clássicos da internet, como Lindomar, o Sub Zero Brasileiro, Jeremias Muito Louco, Sanduiche-iche e muito mais.

Mas o canal da Galinha Pintadinha talvez seja o maior sucesso do YouTube nacional. Com vídeos baratos, curtos e voltados para crianças, ele foi o primeiro a atingir 5 bilhões de views e não dá sinais de que vai parar tão cedo.

Além disso, o dia 6 de novembro de 2009 é especial. Por quê? Foi quando saiu o primeiro vídeo do canal do Baixaki/Tecmundo, sobre o HTC Touch 3G. Até que mudou com o tempo, né?

...

Se você quer ver a história de algum produto, empresa ou serviço contada no canal do TecMundo, é só deixar a sugestão nos comentários. Confira as outras trajetórias que já relatamos neste quadro:

Cupons de desconto TecMundo: