(Fonte da imagem: Divulgação/Riot Games)
O canadense Danny “Shiphtur” Le se tornou o primeiro pro-gamer a receber um visto norte-americano atestando que ele é um “atleta reconhecido internacionalmente”. O documento foi emitido um mês após o governo dos Estados Unidos reconhecer League of Legends como um esporte profissional.

O visto permitirá que Le possa treinar no país para o campeonato mundial que será realizado em outubro e concederá cerca de um US$ 1 milhão (R$ 2,2 milhões, de acordo com a taxa de conversão atual) ao vencedor.

Enquanto outros pro-gamers já receberam vistos no passado – em sua maioria para eventos únicos no país –, Le se tornou o primeiro a poder receber um salário exercendo a profissão durante a sua estadia nos EUA.

De acordo com Dustin Beck, vice-presidente da Riot Games (desenvolvedora de League of Legends), convencer o serviço de imigração não foi uma tarefa fácil. “Nós tivemos de juntar relatos de participantes e comprovar que essa é uma carreira viável e consistente e que é possível fazer com que jogar competitivamente seja uma profissão”, explicou Beck.

Enquanto jogadores de outras ligas de eSports ainda terão de passar pelo mesmo processo de Le antes de serem igualmente reconhecidos, o primeiro (e mais importante) passo já foi tomado. Como o próprio Le comentou, em entrevista ao jornal The Los Angeles Times, “é uma grande decisão.”

Cupons de desconto TecMundo: