Um dos maiores medos das pessoas é relacionado à perda da privacidade. Ninguém quer que os outros saibam o que está sendo visto em seus computadores e nem o que é conversado em situações mais sigilosas. Mas é preciso saber que há grandes chances de que estejamos cada vez mais longe da privacidade, pois nossas informações estão sendo colhidas o tempo todo — e isso pode ser só o começo.

Segundo uma publicação no The Wall Street Journal, o FBI teria desenvolvido um projeto que permite a ativação de microfones de celulares de qualquer pessoa, sem que seja necessária a autorização dos proprietários — o que seria muito eficiente na captura de diálogos e outras formas de espionagem. O sistema seria ativado como um trojan comum, sendo instalado pelo próprio usuário sem que ele soubesse.

Com os arquivos espiões instalados no celular — por enquanto, há relatos apenas de que smartphones com Android poderiam ser afetados —, o FBI poderia não apenas ativar os microfones para gravar conversas, mas também seria capaz de coletar dados de navegação e mensagens de texto com muito mais facilidade. E é preciso dizer que isso não seria limitado aos smartphones.

Também em notebooks

Segundo o The Wall Street Journal, um ex-agente do FBI afirma que as atividades realizadas pelo programa da Unidade de Operações Remotas também poderiam afetar notebooks. E, assim como acontece com os celulares, há formas de infecção pela internet e também pela simples conexão de aparelhos USB que estiverem programados para espalhar o trojan.

Também foi dito que os oficiais teriam acesso contínuo a equipamentos relevantes, deixando de espionar smartphones e computadores assim que é constatado que não há materiais importantes para serem verificados. Vale dizer que todas as informações são oriundas de fontes não reveladas pelo WSJ. A publicação também afirma ter entrado em contato com o FBI, mas o departamento da Polícia Federal dos EUA não quis responder nada sobre o caso.

Cupons de desconto TecMundo: