Apple Car pode ser produzido por LG e Magna International

1 min de leitura
Imagem de: Apple Car pode ser produzido por LG e Magna International
Imagem: Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Segundo matéria publicada no The Korean Times nesta terça-feira (13), a Apple pode estar prestes a fechar um acordo com a LG Magna e-Powertrain para a produção do Apple Car, cujo lançamento é esperado até 2025 – uma parceria entre a sul-coreana e a fabricante canadense de componentes automotivos a ser firmada ainda em 2021 e que teria a empresa da Maçã como primeira cliente.

A exemplo do que indicavam rumores anteriores, ambas atuariam apenas como "peças" da cadeia de produção de um produto comercializado exclusivamente sob a marca da companhia liderada por Tim Cook, um papel não desejado por outros grandes nomes da indústria, como Hyundai e Nissan. Por não terem presença relevante no setor, são grandes as chances de o que aceitem.

Tesla, General Motors, Ford e BMW são algumas daquelas que já contam com baterias, motores e mais fornecidos pela LG e pela Magna International, atestando a capacidade de oferecerem suas soluções à Apple. Além disso, a segunda já apareceu no leque de apostas de especialistas quando se fala dos novos rumos da responsável por iPhones, iPads e outros famosos dispositivos.

Conceitos de entusiastas não faltam por aí, mas Apple Car é um mistério.Conceitos de entusiastas não faltam por aí, mas Apple Car é um mistério.Fonte:  Reprodução 

Passo a passo

Sabe-se que, desde 2015, a Apple trabalha em uma tecnologia de direção autônoma sob o codinome Projeto Titan, que teria sofrido interrupções em 2017. Ainda assim, diversas pistas indicam sua retomada.

A contratação de executivos-chave da Tesla e da Porsche é uma delas, assim como a declaração de Tim Cook à jornalista Kara Swisher em 5 de abril de que a companhia estaria interessada na união de hardware, software e serviços relacionados a veículos elétricos.

De resto, resta a nós acompanhar tais movimentos.